Folha Vitória Microscópio neurocirúrgico chega em hospital de Vitória e já está em fase de testes

Microscópio neurocirúrgico chega em hospital de Vitória e já está em fase de testes

O equipamento, considerado o melhor e mais moderno microscópio neurocirúrgico do mundo, é o primeiro adquirido por um hospital brasileiro

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O Hospital Santa Rita recebeu, na segunda-feira (8) , o microscópio neurocirúrgico Zeiss KINEVO 900, com sistema de visualização robótica – Pacote Premium. O equipamento, considerado o melhor e mais moderno microscópio neurocirúrgico do mundo, é o primeiro adquirido por um hospital brasileiro e está em fase de testes para ser usado na primeira cirurgia do estado com a versão mais completa do equipamento.

Para marcar a chegada do aparelho, a equipe de neurocirurgia do Santa Rita, liderada pelos médicos Alexandre Ottoni e Tiago Madeira, irá realizar, nos dias 23 e 24/02, um simpósio internacional, via web, abordando temas nas áreas de neurocirurgia oncológica e neurocirurgia vascular. Os palestrantes internacionais serão o neurocirurgião Michael T. Lawton, Presidente e CEO do Barrow Neurological Institute (Phoenix-Arizona/EUA) - o melhor centro de Neurocirurgia dos Estados Unidos; e Marcos Tatagiba, Presidente do Departamento de Neurocirurgia da Universidade de Tubingen, na Alemanha.

Investimento

O investimento no novo equipamento, segundo o diretor-Geral do Santa Rita, Carlos Clayton Lobato, foi da ordem de R$ 3,5 milhões. “A aquisição equipara o serviço de neurocirurgia do nosso Hospital aos melhores centros de neurocirurgia dos Estados Unidos e da Europa. Alguns dos grandes centros de referência do mundo ainda não contam com toda a tecnologia que já iremos oferecer aos nossos pacientes”, informa Lobato.

O neurocirurgião Tiago Madeira acrescenta que “muito mais que um novo modelo de microscópio, o Zeiss KINEVO 900 representa uma verdadeira tecnologia disruptiva em termos da visualização microcirúrgica das estruturas do cérebro”.

Diferenciais do microscópio

Tecnologia KINEVO 900 - Sistema de visualização robótica - O sistema de visualização robótica do microscópio KINEVO 900 permite que o cirurgião dê comandos ao aparelho para que determinadas posições sejam memorizadas pelo sistema. Isso permite que após movimentar o aparelho durante o procedimento, o sistema robótico possibilite que o microscópio retorne exatamente para a posição memorizada (função Memory position).

O aparelho conta, ainda, com um comando de movimentação bucal, controle de funções por pedal (Foot Control) e o sistema Point Lock, que permitem ao cirurgião mirar uma determinada estrutura com um laser e o microscópio mostrar automaticamente o alvo por diferentes ângulos de visão. “Essas funções apresentam uma enorme vantagem em relação ao outros microscópios que usualmente possuem controle de foco e angulação por comando manual, exigindo que o cirurgião tenha que tirar uma das mãos do campo operatório sempre que o foco óptico é perdido e/ou o microscópio precisa ser reposicionado. Em um procedimento neurocirúrgico, que não raramente dura 12 horas, essa automação de posição faz uma enorme diferença na dinâmica e duração da cirurgia. Um procedimento microneurocirúrgico prolongado pode ser extremamente desgastante do ponto de vista físico e mental, sendo de fundamental importância posicionamentos automatizados do aparelho, como o sistema do KINEVO 900”, explica o neurocirurgião Tiago Madeira.

Sistema de visualização do campo cirúrgico em 3D (Exoscópio) - O Zeiss KINEVO 900 permite operar com visualização tridimensional (visão exoscópica). Nesse modo de visualização, os cirurgiões colocam óculos especiais que os possibilitam visualizar as estruturas em uma ampla tela 3D, com enorme detalhamento anatômico das estruturas, garantindo maior segurança nas manobras cirúrgicas, acrescenta o neurocirurgião Alexandre Ottoni, também integrante da equipe do Hospital Santa Rita de Cássia.

BLUE 400

Esse sistema é fundamental em cirurgia para ressecção de tumores cerebrais. Frequentemente, informa Alexandre Ottoni, tumores infiltram o tecido cerebral, sendo não raramente impossível fazer uma distinção precisa entre o que é tumor e o que é o tecido cerebral normal. “Esse é o motivo pelo qual muitas vezes o cirurgião julga que fez uma ressecção completa do tumor e a Ressonância Magnética pós operatória mostra uma lesão residual. Esse fato tem impacto direto na sobrevida do paciente, já que em última análise, o resquício tumoral pode determinar a necessidade de realização de uma nova cirurgia, realização de radioterapia adicional e/ou reduzir a expectativa de vida de um paciente”, explica o médico.

Com o recurso BLUE 400 do Zeiss KINEVO 900, uma substância é injetada em uma veia do paciente e as células tumorais captam essa substância, mas o tecido cerebral normal não, permitindo uma perfeita distinção dos limites do tumor. Nesse caso, é possível realizar a chamada supra ressecção tumoral.

INFRARED 800 (Infravermelho 800)

Esse outro recurso do Zeiss KINEVO 900 é utilizado para cirurgias neurovasculares, como no tratamento microcirúrgico dos aneurismas cerebrais. De acordo com os neurocirurgiões, uma substância que contrasta os vasos é injetada em uma veia do paciente e o sistema Infravermelho do Zeiss KINEVO 900 é capaz de mapear esses vasos. “Quando clipamos um aneurisma cerebral, um dos principais riscos é a inclusão inadvertida no clipe de vasos sanguíneos que irrigam o cérebro. Nesse caso, o paciente poderá sofrer uma isquemia cerebral pelo próprio procedimento cirúrgico, o que pode determinar uma grave sequela neurológica. “O sistema Infravermelho 800 permite que façamos uma inspeção vascular após a clipagem, garantindo que nenhuma artéria do cérebro foi fechada inadvertidamente. Caso o problema seja detectado, o clipe pode ser reposicionado, evitando sequelas neurológicas”, informa o neurocirurgião Tiago Madeira.

QEVO 

O dispositivo QEVO, acoplado ao sistema Zeiss KINEVO 900, permite uma micro inspeção endoscópica. “Muitas vezes precisamos visualizar estruturas cujo ângulo de visão do microscópio não atinge. O QEVO permite ao cirurgião uma ampla visão em 100 graus de detalhes anatômicos, cuja visualização seria impossível sem este instrumento. O QEVO traz segurança adicional tanto para neurocirurgias vasculares quanto para as ressecções de tumores, cirurgias de coluna, dentre outras”, acrescenta o neurocirurgião Alexandre Ottoni.

“Em intervenções no cérebro, pequenos detalhes podem fazer a diferença entre um resultado excepcional e a uma sequela neurológica definitiva. O sistema Zeiss KINEVO 900 traz a segurança que o neurocirurgião necessita para reduzir significativamente o risco de complicações decorrentes das intervenções neurocirúrgicas” relata o neurocirurgião Tiago Madeira.

Últimas