Folha Vitória Ministério Público Estadual denuncia suspeito de matar capoeirista em Itaúnas

Ministério Público Estadual denuncia suspeito de matar capoeirista em Itaúnas

O MPES também pediu à Justiça a prisão preventiva de Tiago Passos Viana, que foi solto no final do mês passado. Crime aconteceu no dia 18 de dezembro

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O Ministério Público do Espírito Santo (MPES) ofereceu denúncia à Justiça contra o suspeito de assassinar o professor de capoeira Cuarassy Medeiros Del Nery, de 39 anos. O crime aconteceu após uma discussão entre os dois, no balneário de Itaúnas, em Conceição da Barra, no norte do estado, no dia 18 de dezembro do ano passado.

O MPES, por meio da Promotoria de Justiça de Conceição da Barra, solicitou que Tiago Passos Viana seja submetido a julgamento pelo Tribunal Popular do Júri. Ele foi denunciado pelo crime de homicídio, por motivo fútil. O Ministério Público também pediu à Justiça a prisão preventiva de Tiago. 

A denúncia relata que o acusado confessou ter adquirido, sem registro, uma arma de fogo cinco dias antes do crime, e passou a andar com o armamento em local público. Segundo o MPES, após cometer o crime, ele jogou a arma em um rio, para impedir a perícia, dificultando as investigações e a produção de provas.

O crime ocorreu quando Cuarassy trabalhava em uma loja. Na ocasião, Tiago chegou ao local e os dois iniciaram uma discussão e entraram em luta corporal. Segundo as investigações, mesmo com moradores pedindo que o acusado se afastasse, ele foi ao interior de uma pousada e, após pegar uma arma de fogo, atirou contra a vítima, que morreu no local.

Para o MPES, o acusado cometeu o homicídio por motivo fútil, já que tinha uma rixa anterior com uma pessoa, de quem a vítima teria tomado as dores. Essa situação, segundo as investigações, foi relatada pelo próprio denunciado, em um áudio enviado por aplicativo de celular. 

O Ministério Público Estadual, inclusive, juntou aos autos um áudio enviado por Tiago a uma pessoa não identificada, logo após o crime, confessando que, além de ter cometido o homicídio, iria apagar do aplicativo a mensagem em que relata esses fatos.

Soltura

Tiago chegou a ser preso no dia 29 de dezembro, mas ficou menos de um mês na prisão. Ele recebeu um alvará de soltura no último dia 26. O alvará foi concedido, pois a Justiça entendeu que, após passados 38 dias sem que o inquérito fosse concluído, o suspeito deveria ter a pena relaxada.

Um dia após o crime, Tiago se apresentou à polícia junto com um advogado. Ele confessou ter matado o capoeirista, pois a vítima teria quebrado um copo nele. Como o suspeito não foi encontrado em flagrante e não havia mandado de prisão contra ele, Tiago foi ouvido e liberado. 

No entanto, dias após o crime, a Justiça determinou sua prisão preventiva. De acordo com o titular da Delegacia de Polícia de Conceição da Barra, delegado Alysson Pereira Pequeno, após decretada a prisão, o Serviço de Inteligência passou a monitorar o suspeito, que foi capturado no município de Linhares. Ao ser detido, ele foi encaminhado para a 18º Delegacia Regional e, posteriormente, para o CDP de São Mateus.

Últimas