Folha Vitória Moradores fazem corrente de oração antes de voltar para prédio onde piscina desabou em Vila Velha

Moradores fazem corrente de oração antes de voltar para prédio onde piscina desabou em Vila Velha

Uma semana após o desabamento, alguns moradores decidiram retornar nesta quinta-feira (29) e a realizaram um momento de fé

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Depois de uma semana longe de casa, os moradores fizeram um momento de  oração antes de voltar para o condomínio Parador, na Praia de Itaparica, em Vila Velha, onde uma piscina desabou na quinta-feira (22)

Após uma reunião, na última terça-feira (27), alguns moradores decidiram que retornariam para seus apartamentos na noite desta quinta-feira (29). No entanto, antes de entrarem no edifício, as famílias tiveram um momento de fé, em que aparecem de mãos dadas na calçada em frente ao prédio realizando uma corrente de oração.

Entretanto, na reunião, alguns moradores haviam decidido que só retornariam aos apartamentos, após laudo de uma perícia particular que será contratada por eles

De acordo com o síndico, Gilmar Assumpção, a perícia particular irá verificar a segurança do local. Ele explicou que os próprios moradores vão escolher a empresa. "Vai ser verificado o prédio no todo, porque todas as vistorias realizadas até o momento foram visuais, mas a que vamos contratar fará ensaios que comprovem que não há danos nas estruturas", salientou o síndico.

Ainda segundo Gilmar, os moradores que decidiram aguardar o laudo particular vão receber um valor mensal para permanecerem no local que escolherem. 

O desabamento da piscina

Na noite da última quinta-feira (22), a piscina do condomínio desabou em cima da garagem. No momento da queda não havia pessoas nesses locais e, portanto, ninguém ficou ferido.

No sábado (24) e no domingo (25), um caminhão fez a retirada dos entulhos e a Defesa Civil de Vila Velha, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES) e funcionários da construtora Argo, responsável pelo prédio, fizeram vistorias para saber se a estrutura do prédio estava comprometida.

A Defesa Civil liberou o retorno dos moradores na tarde de sexta-feira (23), e a empresa Argo contratou um perito que também afirmou não haver risco no condomínio. Em relação ao uso das vagas na garagem, em nota, a Argo escreveu que busca um terreno próximo para transformar em estacionamento.

Os moradores que ainda não voltaram estão hospedados em hotéis e casas de parentes. A construtora informou também que auxilia todas as famílias e arca com os custos de hospedagens e transporte.

Para o síndico, o susto inicial passou, mas eles ainda querem mais informações para ficarem tranquilos nos apartamentos. "É impossível alguém assinar um laudo falando de 100% de segurança do prédio. Por isso que vamos contratar a perícia especializada", concluiu Gilmar.

*Com informações do repórter Matheus Brum da TV Vitória / Record TV

Últimas