Folha Vitória Morre criança de 6 anos que foi espancada e estuprada pelo padrasto no Espírito Santo

Morre criança de 6 anos que foi espancada e estuprada pelo padrasto no Espírito Santo

A mãe e o padrasto da criança estão detidos; mais informações sobre o caso serão repassadas ao fim das investigações

Folha Vitória
Foto: Luana Damasceno
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Familiares confirmaram nesta quarta-feira (19), a morte da pequena Gabrieli Vitória Magalhães, de 6 anos. A menina foi espancada e estuprada pelo padrasto no município de Ecoporanga, região Norte do Espírito Santo. Uma tia da criança estava no quarto quando a menina morreu.

Familiares de Gabrieli estiveram no Departamento Médico Legal no início da tarde desta quarta-feira. A tia e o pai da criança estiveram no local, mas não quiseram gravar entrevista. 

A morte foi confirmada por volta de 12 horas e o pai, ainda muito abalado, disse que ela era a única filha dele. O velório e o enterro da menina serão realizados em Imburana, distrito de Ecoporanga. 

De acordo com a família, Gabrieli estava internada no Pronto Socorro do Hospital Infantil de Vitória. A menina foi agredida e estuprada pelo padrasto de 43 anos.

A Polícia Civil informou que a mãe, durante o depoimento, confessou que as agressões ocorreram na quinta-feira (13). A criança precisou ser internada em um hospital de Ecoporanga e depois foi transferida para Barra de São Francisco. Porém, apenas na sexta-feira, a polícia teve conhecimento do caso.

O suspeito foi detido enquanto tentava se esconder em um colchão no meio do mato em uma região chamada Córrego do Beirador, em Ecoporanga. De acordo com as investigações, o padrasto deixou a mãe e a criança no hospital e fugiu logo em seguida, mas foi encontrado após uma denúncia anônima. Em depoimento, ele negou as acusações e disse apenas que repreendeu a menina. A mãe de Gabrieli também foi presa.

Leia também: Preso padrasto de menina de 6 anos que foi espancada e estuprada no Espírito Santo

Segundo informações da polícia, o caso segue sob sigilo e somente após o encerramento das investigações, serão definidos por quais crimes o padrasto e a mãe da criança vão responder.

* Com informações do repórter Waslley Leite, da TV Vitória/RecordTV

Últimas