Folha Vitória Motoboy esfaqueado durante assalto em Vila Velha recebe alta e relembra crime

Motoboy esfaqueado durante assalto em Vila Velha recebe alta e relembra crime

Durante o assalto, a vítima levou sete facadas, mesmo após entregar seus pertences aos criminosos

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Depois de passar por momentos de susto na noite da última terça-feira (20), o motoboy de 35 anos que foi esfaqueado durante um assalto no bairro Ataíde, em Vila Velha, recebeu alta médica nesta quarta-feira (21) e já está em casa. Ainda debilitado, o rapaz se diz arrependido por não ter entregado o celular aos assaltantes.

Em conversa com a equipe do jornal Cidade Alerta, da TV Vitória/Record TV, o motoboy disse acreditar que o crime foi planejado pelos criminosos. 

"Esse carro já vinha me seguindo desde lá de baixo. Quando chegou lá em cima,  me fechou e fez o anúncio do assalto de uma forma bem violenta", contou.

A vítima disse que trabalha como motoboy há mais de 17 anos, e que o trabalho de entrega de lanches acontece diariamente em diversos bairros da Grande Vitória. Além do prejuízo físico causado após o ocorrido, os sentimentos de revolta e impunidade também acompanham o rapaz.

"A gente se sente impotente porque de um lado está um bem que você adquiriu e do outro lado tem uma arma branca e uma arma de fogo. A gente tenta fazer um trabalho honesto e aí vem uns camaradas desses, que infelizmente gostam de ganhar a vida fácil e fazem isso aí com a gente", relatou.

Relembre o caso

Na noite da última terça-feira (20), por volta de 00h, o motoboy foi abordado  quando chegava em casa. Um deles ficou dentro do carro e o outro saiu do veículo fazendo ameaças e exigindo a chave da moto.

Assim que os suspeitos anunciaram o assalto, a esposa do motoboy apareceu no portão. O homem que dirigia o carro mandou ela entrar. A mulher teria implorado ao suspeito para que ele não fizesse nada, pois ela estava grávida. Mesmo assim, o rapaz foi na direção dela. Neste momento, ela entrou em casa e imediatamente fechou o portão.

Mesmo após o motoboy entregar a chave da moto, os dois suspeitos exigiram o celular. A vítima se recusou a entregar o aparelho e foi nessa hora que as agressões começaram. 

"Eu tomei várias capacetadas na cabeça, eu não sei como eu não perdi o sentido pela gravidade. Foi facada, foi capacetada, foi porrada, foi chute, a violência que eles usaram comigo ali foi muito grande", lembrou a vítima.

O motoboy levou facadas no braço e nas costas. Após o ocorrido, os vizinhos acionaram a polícia mas até o momento ninguém foi encontrado. 

* Com informações da repórter Milena da Silva Martins, da TV Vitória/Record TV.

Últimas