Folha Vitória Motorista de aplicativo é vítima de assalto na véspera do aniversário de 52 anos

Motorista de aplicativo é vítima de assalto na véspera do aniversário de 52 anos

Vítima morava no Rio de Janeiro e se mudou para Cachoeiro de Itapemirim em busca de uma vida mais tranquila

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Uma motorista de aplicativo do município de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do estado, foi vítima de criminosos na véspera do aniversário de 52 anos. Ela teve uma arma apontada para a cabeça, quase foi trancada dentro do porta-malas do veículo e foi abandonada em uma região de mata.

O pesadelo começou quando ela já estava encerrando o trabalho, mas o aplicativo sinalizou uma corrida para Marataízes.

"Resolvi aceitar essa corrida para ir até a casa da minha irmã. Eu ia dormir na casa dela, com minha mãe e minha sobrinha para comemorar meu aniversário com a minha família e depois ir trabalhar", contou a vítima.

Quatro pessoas embarcaram no veículo, três homens e uma mulher. Poucos minutos depois de iniciar a corrida, a motorista começou a desconfiar do grupo pois quando perguntou o destino, eles se confundiram.

"Quando eu perguntei, a menina disse que eles estavam indo para o Garrafão, mas o menino disse que estavam indo para Marataízes. Eu tinha uma santinha dentro do carro, passei a mão na santa e comecei a rezar", disse a trabalhadora.

A motorista teve certeza que seria vítima de um assalto quando um dos passageiros pediu para desviar o caminho e entrar em uma região conhecida como Garrafão, em Itapemirim. 

Assalto anunciado em zona rural

Ao chegar na zona rural, com pastos dos dois lados da pista, área deserta e escura, a motorista teve a certeza que se tornaria uma vítima. 

Durante o longo trajeto, um dos passageiros anunciou o assalto e antes que ela tivesse qualquer reação, ele fez questão de afirmar que a arma apontada para a cabeça dela, era de verdade.

A mulher sentiu que algo de pior pudesse acontecer quando os criminosos começaram a discutir entre eles sobre o que fazer com a vítima.

"Um deles queria me colocar no porta-malas e me soltar depois mais para frente, o outro queria me deixar no carro. O rapaz que queria me colocar no porta-malas disse que iria me matar ali mesmo com um tiro na cabeça, mas eu fiquei em pé no meio do mato".

Tempos depois ela conseguiu pedir ajuda a um casal que passava de carro pela região. Os dois levaram ela de volta para Cachoeiro. O crime aconteceu por volta das 19 horas da última terça-feira (27) e a mulher só conseguiu chegar em casa às 22 horas.

Mudou de endereço por medo

A vítima morava no Rio de Janeiro onde também trabalha como motorista de aplicativo, mas pela insegurança da região, decidiu se mudar para o Espírito Santo e foi morar em Cachoeiro de Itapemirim. Ela conta que optou pela mudança pois buscava uma vida mais tranquila.

Tendo essa profissão como única opção no momento, apesar do medo, ela disse que vai continuar.

"Cada um tem uma história, cada um tem um destino e o meu não era ficar ali morta e jogada com um tiro na cabeça. Eu ainda tenho muita coisa para fazer. Estou fazendo 52 anos e ainda pretendo viver muito, tenho muitos projetos e sonhos", ressaltou.

A equipe de jornalismo da TV Vitória entrou em contato com a empresa de aplicativo que lamentou o ocorrido e disse que está disponível para colaborar com as investigações.

A empresa disse ainda que investe em tecnologia e que o perfil que acionou a corrida foi bloqueado.

Ainda na tarde desta quarta-feira, a motorista informou que o veículo foi encontrado. Ele estava no bairro Morro do Zumbi, em Cachoeiro de Itapemirim.

* Com informações da repórter Polyana Martinelli, da TV Vitória/Record TV.

Últimas