Folha Vitória Mulher assassinada em Vila Velha será enterrada em Colatina

Mulher assassinada em Vila Velha será enterrada em Colatina

Bruna Santos Pinheiro, de 28 anos, foi encontrada morta ao lado de um carro, na Estrada do Dique, em Vila Velha

Folha Vitória
Foto: Reprodução / Instagram

O corpo de Bruna Santos Pinheiro, de 28 anos, encontrada morta ao lado de um carro, na Estrada do Dique, em Vila Velha, foi levado para Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, onde será velado e enterrado nesta quarta-feira (20). 

A morte da jovem ainda é um mistério. Na noite da última segunda-feira (18), ela decidiu voltar para a academia que frequentava, localizada em Cariacica. Bruna estava acompanhada da filha mais velha e de outra mulher, e chegou a compartilhar o momento nas redes sociais. 

Horas depois, no entanto, na manhã de terça-feira (19), o corpo dela foi encontrado por um ciclista, às margens de uma rodovia. Investigadores da Polícia Civil identificaram sete perfurações.

Foto: Rafaela Freitas | TV Vit´ória

O veículo de Bruna estava com a porta de trás aberta, com marcas de tiro e sangue na parte interna. Segundo a perícia, pelo menos duas pessoas participaram do crime, já que cápsulas de dois diferentes calibres foram encontradas no local. 

A polícia acredita que Bruna tenha sido baleada primeiro dentro do carro e tentou fugir dos suspeitos, mas acabou morta.

Dentro do automóvel, a polícia encontrou vários pertences da vítima, como cadeira de praia, garrafa de água e uma bolsa com cartões, que auxiliou a polícia na identificação. O celular da mulher e a chave do veículo não foram encontrados. 

Em nota, o advogado de Bruna disse que a jovem respondia em liberdade perante ao Tribunal de Justiça em Minas Gerais e que a família está muito abalada com o crime. 

A Polícia Civil informou que o caso será investigado pela Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Mulher. 

Mulher foi presa em 2020

Segundo a Polícia Civil, a mulher cumpria prisão domiciliar por tráfico de drogas praticado entre as fronteiras de Minas Gerais e o Espírito Santo, na região de Aimorés. 

De acordo com a Secretaria de Estado da Justiça do Espírito Santo (Sejus), a vítima do assassinato teve entrada no sistema prisional em 04 de maio de 2020, onde permaneceu no Centro Prisional Feminino de Cariacica. A partir do dia 15 do mesmo mês, ela recebeu o benefício da prisão domiciliar.

Segundo sentença disponibilizada no site do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), foi no dia 4 de maio daquele ano que ela, junto ao cúmplice Ernando Ferreira Silva, foram parados em uma blitz da Polícia Rodoviária Federal (PRF) na BR 259.

No carro em que estavam, um Fiat Strada, eram transportados, para a venda, uma sacola com 141 gramas de maconha, além de uma bolsa com outros 17.393 gramas da substância.

Ao serem parados, o homem logo arremessou o celular ao chão e tentou pisoteá-lo, tendo sido impedido pelos policiais. Também foi encontrada cocaína e 14 tabletes de maconha no assoalho do automóvel. Imobilizado, confessou que havia drogas no veículo e que receberia R$ 2 mil pelo transporte delas.

Bruna, no entanto, tentou negar a situação, mas depois informou aos agentes para quem os entorpecentes seriam levados. Na sentença, ficou determinada a prisão dela por seis anos e três meses, em regime semiaberto. 

Saiba mais: Mulher encontrada morta cumpria prisão domiciliar por tráfico de drogas em Minas Gerais

Últimas