Folha Vitória Mulher comprou serrinha para namorado esquartejar ex-companheiro no Sul do ES

Mulher comprou serrinha para namorado esquartejar ex-companheiro no Sul do ES

O corpo de Higor Fabiano Rangel, de 24 anos, foi jogado em um rio de Cachoeiro de Itapemirim

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A ex-companheira do homem que foi esquartejado em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Espírito Santo, foi presa pela Polícia Civil na tarde de segunda-feira (23), no bairro Balminas. 

Higor Fabiano Rangel, de 24 anos, foi brutalmente assassinado. O corpo da vítima foi jogado em um rio da cidade e só foi identificado por causa de uma tatuagem. 

A mulher é a terceira suspeita presa no caso. A primeira prisão ocorreu no dia 26 de junho, contra um homem de 23 anos, na mesma localidade. Segundo a polícia, ele é apontado como autor do homicídio e responsável por desmembrar a vítima.

Leia também: Suspeito de esquartejar homem no sul do ES é preso; corpo da vítima foi jogado no rio

O tronco foi localizado no Rio Itapemirim, no dia 28 de abril, com cabeça e membros superiores e inferiores cortados dentro de sacolas plásticas. O segundo suspeito, de 28 anos, amigo do autor, foi preso no dia 27 de junho. 

Entretanto, as investigações apontam que ele não teve participação no crime.

“Nossa equipe foi até o local e, conversando com a suspeita, ela assumiu ter participado do crime. Ela disse que vivia em constantes brigas com a vítima, sendo, inclusive, ameaçada na sexta-feira que antecedeu o crime, o que despertou a ira do então namorado, ao tomar conhecimento”, conta o titular da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Cachoeiro de Itapemirim, delegado Felipe Vivas.

A mulher disse ainda que no dia 25 de abril, manteve contato com o namorado e, na parte da noite, informou o momento em que a vítima já havia adormecido.

Pouco tempo depois, o suspeito chegou na residência e a porta foi aberta por ela. Com uma faca, o homem foi até o quarto em que Higor dormia e o executou.

“No momento da execução, o filho da vítima, de quatro anos, estava dormindo no quarto ao lado enquanto o pai era executado. No dia seguinte, por orientação do namorado, a suspeita foi até um comércio e adquiriu cloro e serrinha, que foram utilizados respectivamente para limpar o local e para serrar o corpo de Higor Fabiano Rangel. A mulher disse que o corpo, após ser desmembrado, foi carregado pelo suspeito por um caminho por trás do Hospital Paulo Pereira, que dá acesso ao antigo Colégio Darwin, sendo desovado no Rio Itapemirim”, ressaltou o delegado.

Durante a prisão, a mulher estava com a criança, que foi entregue ao avô. Ela foi encaminhada ao Centro Prisional Feminino de Cachoeiro de Itapemirim. 

Últimas