Folha Vitória Mulher é agredida após cobrar ajuda de marido por não colaborar nas tarefas domésticas

Mulher é agredida após cobrar ajuda de marido por não colaborar nas tarefas domésticas

As agressões tiveram início após a mulher se queixar da ausência do marido nas tarefas de casa e no relacionamento; os filhos e a mãe da vítima viram de perto a sessão de espancamento

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Uma mulher foi vítima de agressão do próprio companheiro na noite da última sexta-feira (11), em Cariacica. Segundo a vítima, as agressões começaram de noite e terminaram na manhã deste sábado (12). O motivo seria um desentendimento após a vítima se queixar da ausência do marido nas tarefas de casa e no relacionamento.

A vítima, uma dona de casa de 29 anos, ficou com marcas na cabeça, na região dos olhos, nas pernas e no peito. De acordo com ela, as agressões teriam sido feitas pelo próprio companheiro e que tudo começou após ela chamar a atenção do homem que, segundo ela, não ajuda nas tarefas básicas da casa, como lavar vasilha, dobrar roupas e nem mesmo dá atenção para a própria esposa. 

Outra queixa da vítima é a constante presença do marido nos jogos eletrônicos. De acordo com a mulher, o suspeito também fica o dia inteiro no videogame, desde a hora do café da manhã até a hora de dormir. 

As agressões

Tudo começou quando a vítima estava limpando a casa na noite de sexta-feira (11). Vendo aquela situação se repetir mais uma vez, a mulher decidiu chamar a atenção do marido, que se irritou e deu início à sessão de espancamento.

Além do casal, na mesma casa moram os dois filhos da dona de casa, um menino de nove anos e uma menina autista de cinco, e a mãe da vítima. Todos viram as agressões.

A mulher contou que no momento em que o marido se irritou, ele levantou do sofá dando um soco na orelha dela e outro na boca. Após essa primeira sessão de pancadaria, a mulher correu para o quarto e se trancou. Os dois passaram a noite inteira longe um do outro, mas quando amanheceu, o sofrimento voltou. 

Enquanto conversava com a mãe sobre colocar um fim no relacionamento, o suspeito entrou no quarto e voltou a agredir a vítima.

A história fica ainda pior quando a mulher, ciente de que não conseguiria bater no suspeito, decidiu se vingar de algo bastante precioso para ele: o videogame. Assim que escapou das agressões, ela conseguiu pegar o videogame e jogar n chão. O aparelho partiu ao meio, deixando o homem ainda mais descontrolado.

Em uma tentativa de chamar a polícia, a mulher pegou o celular e correu para a rua, mas o homem foi atrás. As agressões continuaram mesmo no meio da rua e quando o avô da vítima, que mora nas proximidades, viu toda a situação, chamou a neta para se abrigar na casa dele, o que possibilitou que a mulher chamasse a polícia.

Assim que os policiais chegaram, o suspeito fugiu e a dona de casa foi levada para o Plantão Especializado da Mulher, em Vitória.

Problema constante

Há cerca de dois meses, esta mesma mulher já compareceu ao Plantão para registrar um boletim de ocorrência contra o mesmo suspeito. 

Inclusive, ela contou que já tinha uma medida protetiva contra ele, e em entrevista ao jornal Balanço Geral, a vítima contou que ele nunca saía de casa, e que já havia dito outras vezes que ela teria que ficar com ele, gostando ou não.

Uma marca na perna da dona de casa é o registro que ela tem de outra agressão por parte do companheiro. No dia, ele teria usado uma madeira com um prego na ponta. A vítima precisou ser levada para o pronto socorro de Alto Lage, em Cariacica. 

Mudança de personalidade

A dona de casa contou para a equipe de jornalismo que o relacionamento com o suspeito começou de maneira pacífica como um "conto de fadas". Eles teriam se conhecido pela internet, ficaram um mês e meio conversando até que decidiram marcar o primeiro encontro.

Mas o que começou como uma história de amor acabou com uma reviravolta das piores e mais graves. Apesar da denúncia, a vítima hoje está com medo de como toda essa história pode acabar devido às constantes ameaças de mortes que recebia do companheiro enquanto estavam juntos.

* Com informações da repórter Marla Bermudes, da TV Vitória/Record TV.

Últimas