Folha Vitória Mulher é agredida pelo ex-marido, reage e filho vai para abrigo em Viana

Mulher é agredida pelo ex-marido, reage e filho vai para abrigo em Viana

Após a agressão a vítima precisou ser hospitalizada e deixou o filho com uma tia, que tem problemas mentais. O Conselho Tutelar foi acionado e a criança foi encaminhada para um abrigo

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Uma mulher de 33 anos foi espancada durante uma briga com o ex-companheiro. Os dois estavam na casa da tia da vítima, no bairro Marcílio de Noronha, em Viana, quando se desentenderam. O suspeito agrediu a mulher com socos e com uma cadeira. Ela reagiu e acabou esfaqueado o ex-companheiro. 

A vítima contou que mora em São Mateus, no norte do Espírito Santo. Na última quinta-feira (22), ela e o filho foram para Viana para que ela pudesse ajudar a cuidar da tia, que tem um distúrbio mental. 

A mulher disse, ainda, que o relacionamento com o suspeito terminou devido a agressividade do rapaz. Nos últimos dias, os dois voltaram a conversar e ela pensou em dar uma nova chance para o relacionamento. 

Neste domingo (25), após um desentendimento, o homem a agrediu com socos e com uma cadeira. A mulher reagiu com uma faca na tentativa de se defender. 

A Polícia Militar foi acionada. O homem e a mulher foram socorridos e levados para um hospital. Ela levou dez pontos na cabeça e ficou com o corpo cheio de hematomas.  

O suspeito recebeu atendimento médico e acabou preso. A Polícia Civil informou que o homem de 25 anos foi autuado em flagrante por lesão corporal qualificada na forma da lei Maria da Penha. Ele foi encaminhado para o Centro de Triagem de Viana.

Depois da confusão, a mulher deixou o filho deles com a tia. No entanto, como ela faz uso de medicamentos controlados, a Polícia Militar acionou o Conselho Tutelar. A vítima contou que o que mais doí é ficar longe do filho, que foi encaminhado para um abrigo depois da confusão. 

Após ter alta hospitalar, ela foi atrás do filho, mas, até o momento, não conseguiu recuperar o menino. "Ligaram para o Conselho Tutelar e eles foram lá e levaram a criança. Eles me garantiram, no hospital, que iam me devolver meu filho, mas não foi isso que aconteceu". 

A mulher contou que procurou o Conselho Tutelar. "A conselheira disse que não ia devolver meu filho porque eu não deveria ter brigado. Eu não deveria ter reagido". 

A Prefeitura de Viana, por meio da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social, informou que o Conselho Tutelar do município foi acionado pela Polícia Militar, na manhã de domingo (25), e informado que havia um bebê de 1 ano em risco devido a conflitos entre os familiares. A criança foi encaminhada à Casa de Acolhimento do Município onde está sendo cuidada.

A mãe garantiu que o filho recebe todos os cuidados necessários e não precisa ficar em um abrigo. Ainda se recuperando dos ferimentos, a mulher afirma que o único desejo, neste momento, é ter o bebê de volta. "Para mim é muito difícil! Além de eu ter sido violentada, meu filho é a única razão que me faz sorrir, que me faz existir".

Segundo a prefeitura, como a mãe não mora em Viana, o Conselho Tutelar de Viana está em contato com o Conselho Tutelar do município onde ela mora para localizar um familiar do bebê que possa ficar com a criança enquanto tramita a questão judicial. A prefeitura disse que o papel do Conselho é tirar a criança da área de risco, cuidar dela, e seguir as determinações judiciais.

*Com informações da repórter Suellen Araújo, da TV Vitória/RecordTV. 

Últimas