Folha Vitória Mulher é assaltada no portão de casa em Campo Grande; suspeitos ameaçaram atirar na cabeça da vítima

Mulher é assaltada no portão de casa em Campo Grande; suspeitos ameaçaram atirar na cabeça da vítima

Assustada, a vítima começou a gritar pedindo ajuda

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Uma mulher foi assaltada no portão de casa quando chegava para almoçar. Os dois suspeitos roubaram o celular da vítima. O crime aconteceu nesta quinta-feira (04), no bairro Campo Grande, em Cariacica. 

Segundo a mãe da jovem, a filha estava chegando em casa, por volta das 11h da manhã, quando foi abordada. Ela foi surpreendida pelos dois suspeitos em uma moto. "Quando ela encostou no portão para tocar o interfone, eles chegaram e prensaram ela na grade. Ela pensou em jogar o celular para dentro, mas eles falaram que se ela jogasse iam atirar na cabeça dela.", contou a mãe. 

A mulher chegou a ouvir os gritos de socorro, mas não imaginou que era da própria filha. "Eles prensaram ela na grade e apertaram o dedo dela para tomar o celular. Ela começou a gritar. Eu fui ver o que estava acontecendo, aí me falaram que minha filha tinha sido assaltada. Ainda bem que eu não vi, porque não sei qual seria a minha reação", desabafou. 

De acordo com moradores da região, os suspeitos se aproximaram da mulher quando ela estava chegando no portão de casa. Assustada, a vítima começou a gritar pedindo ajuda. Os vizinhos também gritaram na esperança de que a equipe  que fica em um posto policial próximo ao local do crime ouvissem. 

Segundo a Polícia Militar, uma viatura passou pela região no momento do assalto. Quando os suspeitos perceberam a presença dos policiais, apontaram uma arma para a viatura. Um policial chegou a disparar contra os suspeitos na tentativa de pará-los. Entretanto, eles conseguiram fugir e ainda não foram localizados. 

A família enfrenta dificuldades para dormir. Segundo a mãe da vitima, depois do susto, ficou o medo e a sensação de insegurança. "Ela é a minha filha única. Hoje eu fui com ela para o trabalho, para não deixar ela ir sozinha. A região está muito perigosa", disse. 

*Com informações da repórter Polyana Martinelli, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas