Folha Vitória Mulher tem pedido de indenização negado após relatar reação alérgica em cirurgia de redução de mamas

Mulher tem pedido de indenização negado após relatar reação alérgica em cirurgia de redução de mamas

Justiça do Espírito Santo não reconheceu erro médico no procedimento realizado em uma moradora de Colatina

Folha Vitória
Foto: Divulgação/ Colunas
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A Justiça do Espírito Santo negou o pedido de indenização por danos morais, materiais e estéticos feito por uma mulher que alega ter sido vítima de reação alérgica após um procedimento para redução das mamas.

Isso porque, segundo o juiz da 2ª Vara Cível de Colatina, no Noroeste do Estado a cirurgia é de natureza corretiva e, com isso,  a responsabilidade do médico é de meio, ou seja, quando é assumida uma prestação de serviço que inclui atenção, cuidado e diligência, porém não há comprometimento com a certeza do resultado esperado.

 Ainda segundo o entendimento do magistrado, o profissional que atendeu a mulher atuou com cautela, dando a ela as orientações pré e pós-operatórias, bem como se disponibilizando em atendê-la todas as vezes em que compareceu no consultório. Desse modo, levando em consideração o laudo pericial, o magistrado julgou improcedentes os pedidos da autora da ação.

Médico diz que adotou cuidados necessários

Em sua  defesa, o médico relatou que tomou todos os cuidados necessários no procedimento cirúrgico, medicou a paciente para a diminuição dos sintomas e indicou que a paciente procurasse um dermatologista, o que a paciente não teria feito, uma vez que não retornou com o diagnóstico recomendado. Além disso, afirmou que foi empregada anestesia local por se tratar de cirurgia de porte ambulatorial, apenas na pele.

Perícia aponta que não houve erro 

De acordo com o processo, uma perícia teria comprovado a inexistência de erro médico, apontando que as reações alérgicas não decorrem de má conduta médica e que é impossível garantir que o tratamento possa ser totalmente isento de complicações ou necessidades de pequenos reajustes. 

No laudo pericial consta ainda que as indicações do médico foram adequadas e que a cirurgia trouxe ganhos quanto a redução do tamanho das mamas, melhora da postura e alívio das dores na coluna.

Últimas