Folha Vitória “Não adianta ter um império e não saber usá-lo”, diz Daniella Nunes

“Não adianta ter um império e não saber usá-lo”, diz Daniella Nunes

A “Rainha da Pipoca”, como é conhecida, fatura milhões por ano com o marido, mas dedica grande parte de seus lucros ao terceiro setor

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Para Daniella Nunes, ter um superfaturamento e não usar dessa benesse para fazer o bem não adianta de nada. “É ter um império e não saber usá-lo. De que adianta?”, questiona. Hoje uma das maiores empresárias agrícolas do Brasil, na empresa que possui com o marido, ela é uma das maiores entusiastas do terceiro setor do Rio Grande do Sul.

A “Rainha da Pipoca” do Instagram, rede social em que soma mais de 3 milhões de seguidores, faz festas e dedicou até suas bodas de 10 anos de casada à filantropia.

“O presente que eu pedi foi uma sacola de comida. E fiquei muito, mas muito feliz com a adesão dos convidados, que se engajaram com o meu pedido. Eu falo que atualmente se eu conseguir usar minha influência para o bem, para fazer mais pessoas a serem solidárias, já vou sentir que a missão está sendo cumprida”, avalia.

Daniella ganhou o apelido divertido, inclusive, por todas essas ações que realiza na região em que mora, em Passo Fundo, no Sul do País. “Aos poucos fui ganhando fama na internet e descobriram que sou casada com um dos maiores produtores de milho de pipoca do Brasil. E aí não deu outra, todo mundo começou a brincar com isso. E acho o máximo”, conta ela, às gargalhadas.

“O que eu quero, hoje, é usar dessa minha influência para fazer mais pessoas se dedicarem às doações. Às vezes não é só dinheiro, é dedicar um pouco do seu dia, do seu tempo… Muitas vezes essas pessoas só precisam disso, de atenção”, justifica.

E finaliza: “Sou muito feliz por poder fazer tudo o que eu faço e acho que os seguidores se interessaram por tudo isso, por todos os bastidores, pelo dia a dia (risos)... E eu mostro mesmo. Quem me acompanha sabe que minhas redes sociais são reais, são de verdade, sou eu mesma. E me divirto. Tanto com o pessoal na internet quanto com o meu trabalho, que virou essa dedicação ao terceiro setor”.

Últimas