Folha Vitória Nível do Rio Doce volta a subir e preocupa moradores de Linhares

Nível do Rio Doce volta a subir e preocupa moradores de Linhares

No início da tarde de quinta-feira (6), o nível do rio recuou e atingiu a marca de 3,06 metros, mas voltou a subir nesta sexta

Folha Vitória
Foto: Felipe Tozatto | Secom
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O nível do Rio Doce voltou a subir nesta sexta-feira (07), atingindo 3,11 metros, e ultrapassando novamente a cota de alerta, que é de 3 metros. Segundo a Defesa Civil, a cota de inundação é de 3,45 metros.

No início da tarde de quinta-feira (6), o nível do rio recuou e atingiu a marca de 3,06 metros, mas voltou a ter cheia, apresentando 5 centímetros a mais.

Leia também: Alerta vermelho: cidades do ES recebem aviso de grande perigo para fortes chuvas

A Defesa Civil Municipal de Linhares informou que as famílias que moram na comunidade Olaria já foram orientadas sobre a possibilidade de serem levadas para o abrigo montado no Ginásio do bairro Conceição.

Ainda nesta sexta, segundo a Defesa Civil, o Rio Doce poderá oscilar em 3,20 metros até às 14h. A tendência é que o volume aumente devido às chuvas que incidem na Bacia do Doce, em Minas Gerais, o que acarreta na vazão da Usina de Mascarenhas.

Três dias em alerta

O primeiro alerta de atenção sobre o nível do rio foi divulgado na quarta-feira (05), quando ultrapassou a cota de alerta, atingindo 3,10 metros.

O órgão já previa que o volume aumentaria ainda mais com o passar dos dias. Por conta disso, medidas preventivas já vinham sendo tomadas, após uma reunião do grupo de trabalho emergencial do município.

A Defesa Civil continua monitorando as demandas das comunidades ribeirinhas, sobretudo da comunidade do Olaria, e a evolução no nível do Rio Doce, além de acompanhar os boletins meteorológicos emitidos pelos órgãos climáticos.

Em situações de emergência ou calamidade, a população pode acionar a Defesa Civil pelo telefone do Plantão 24 horas: telefone (27) 99983 5661. Os chamados também podem ser feitos pelo 153, da Guarda Civil Municipal, e em casos extremos de urgência no 193, do Corpo de Bombeiros.

Últimas