Folha Vitória Novas remessas de vacinas serão utilizadas em idosos a partir dos 75 anos no ES

Novas remessas de vacinas serão utilizadas em idosos a partir dos 75 anos no ES

Nova resolução prevê escalonamento de idades para a imunização de idosos e vacinação a profissionais de saúde que não estejam na linha de frente

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Uma nova resolução, publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (10), prevê a ampliação do público-alvo para vacinação contra o novo coronavírus no Espírito Santo, seguindo o escalonamento de idades para idosos e a ampliação dos trabalhadores da saúde. A resolução é da Comissão Intergestora Bipartite (CIB).

A decisão do Estado e dos municípios garante que, havendo nova disponibilidade de doses do imunizante no Espírito Santo, encaminhadas pelo Ministério da Saúde, será seguida a ordem prioritária para os idosos de 85 a 89 anos; 80 a 84 anos; e 75 a 79 anos.

A ordem deverá seguir dessa forma à medida que cada grupo alcançar no mínimo 90% das doses registradas pelo município no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações. Atualmente, estão sendo vacinados no estado idosos com 90 anos ou mais.

“Ressaltamos que o público de 75 anos não institucionalizado faz parte do grupo prioritário para esta primeira fase da campanha. Entretanto, devido ao quantitativo de doses adquiridas pelo governo federal e distribuídas aos Estados, foi necessário realizar o escalonamento por idades. Com a chegada futura de novas doses, o Estado se prepara para dar início à vacinação de cada grupo definido pela nova resolução, e ampliar a imunização do público idoso”, explicou a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis da Secretaria da Saúde (Sesa), Danielle Grillo.

Em relação aos trabalhadores da saúde, a resolução passa a contemplar os demais profissionais, além daqueles que estão na linha de frente no enfrentamento à covid-19 no estado. Serão vacinados, inicialmente, os profissionais de saúde com mais de 60 anos.

“Seguimos as determinações do Informe Técnico da Campanha de Vacinação contra a covid-19 do Ministério da Saúde. É importante frisar que se entende por trabalhadores da saúde todos aqueles que atuam em serviço de saúde, público ou privado, independente da sua profissão. No primeiro momento atendemos àqueles que atuam na linha de frente ao enfrentamento da covid-19, mas com disponibilidade de mais doses a este público, os municípios estão ampliando a imunização e realizando-as, com estratégias definidas, nos próprios serviços de vacinação”, disse Grillo.

A coordenadora ressalta que, para o acesso aos serviços de vacinação, os trabalhadores da saúde precisam levar um documento comprobatório de sua atividade, tais como crachá; contracheque; contrato de trabalho; carteira de trabalho; ou carteira do conselho de classe.

Ainda conforme a resolução, acadêmicos em saúde e estudantes da área técnica em saúde em estágio hospitalar, atenção básica, clínicas e laboratórios deverão apresentar a declaração emitida pela coordenação do curso, descrevendo o período e o local onde é o estágio.

Últimas