Folha Vitória Número de pessoas em situação de rua cresceu em Vitória durante a pandemia

Número de pessoas em situação de rua cresceu em Vitória durante a pandemia

Dados da Secretaria Municipal de Assistência Social apontam que cerca de 350 pessoas vivem em situação de rua na capital capixaba

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A quantidade de pessoas em situação de rua aumentou, em Vitória, durante a pandemia do novo coronavírus. De acordo com a secretaria municipal de Assistência Social, cerca de 350 pessoas vivem nas ruas da capital capixaba. O líder comunitário do bairro Mário Cypreste, Cláudio Luiz Santos, afirmou que o número de pessoas ocupando o Sambão do Povo começou a crescer em junho do ano passado. 

"Tanto a nossa comunidade de Mário Cypreste, quanto as do entorno que utilizam o espaço para fazer caminhada na orla, sentiram um aumento de pessoas em situação de rua. A gente não tem relato de assaltos, porque nem todo morador de rua é assaltante, mas é triste ver que essa pandemia causa esse aumento de pessoas em vulnerabilidade social", afirmou.

A secretária municipal de Assistência Social, Cyntia Shultz, garante que, mesmo com o fechamento total decretado pelo governo do Estado, todos os serviços oferecidos à população de rua pela prefeitura estão funcionando normalmente, por serem considerados essenciais.

"O Centro Pop é o nosso equipamento referência para essa população em situação de rua. Ele fica em Mário Cypreste e funciona todos os dias. Lá, a população em situação de rua recebe o atendimento, faz até três refeições ao dia e conta com espaço para lavar e secar roupas e máscaras", explicou a secretária.

A população de rua da capital, segundo a Secretaria, é formada por 75% de homens e 25% de mulheres. Cerca de 60% das pessoas têm de 39 a 60 anos. Durante a pandemia, a equipe de abordagem da secretaria conta com o apoio de profissionais da saúde para fazer a triagem.

"Como estamos falando de um mesmo público, nós entendemos que fazer essa ação conjunta traria e traz muitos ganhos, seja para a política de assistência ou para a saúde", apontou.

*Com informações da repórter Milena Martins, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas