Folha Vitória O contexto político em que Erick Musso abriu as portas da Assembleia para rodoviários

O contexto político em que Erick Musso abriu as portas da Assembleia para rodoviários

Deputado dialogou com lideranças do sindicato, declarou apoio aos pleitos da categoria, criticou Casagrande e saiu como o pacificador da história

Folha Vitória
Foto: Leonardo Duarte
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Diante da inflexibilidade do Palácio Anchieta em relação ao retorno dos cobradores no transporte público, e o impasse crescente com os rodoviários, Erick Musso (Republicanos) abriu as portas da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) para a categoria. 

O deputado dialogou com lideranças do sindicato, declarou apoio aos pleitos da categoria, criticou Casagrande e saiu como o pacificador da história. Aquele que impediu o "caos" na segunda-feira (13), quando estava prevista nova paralisação da categoria.

Porém, assim como Erick, na tarde dessa sexta-feira (10) o governo estadual também agiu para impedir a realização do movimento, só que por vias judiciais.

Após os rodoviários divulgarem a suspensão da paralisação “a pedido do presidente da Assembleia Legislativa”, a Justiça estadual deferiu uma liminar proibindo novas manifestações do sindicato que representa a categoria.

Ou seja, em tese, independentemente da intermediação do presidente da Ales, os rodoviárias teriam que suspender os planos sob o risco de emplacar um movimento ilegal.

De qualquer forma, o deputado estadual foi aclamado pelo sindicato como a liderança que os apoiou, comprou suas reivindicações, em detrimento do governador Casagrande.

Os acontecimentos dessa sexta foram mais uma sinalização de que Erick Musso busca ascender politicamente não só distante de Casagrande, mas também fazendo oposição ao socialista.

Veja também: Eleições 2022: Erick Musso percorre ES em busca de apoio

E O TAL DO PIANO?

No início do ano, Erick Musso disse que ajudaria Casagrande a “carregar o piano”. O contexto? Ele estava prestes a ser reeleito presidente da Assembleia Legislativa com o apoio do Palácio Anchieta. Aparentemente, o piano ficou pesado demais. Erick tem criticado reiteradamente a administração do governo estadual.

O discurso desalinhado ao Palácio Anchieta começou em abril, com apontamentos negativos a gestão da pandemia. Na ocasião, Erick cobrou medidas mais brandas contra a covid-19 por parte do governo estadual.

Mais recentemente, o alvo tem sido a segurança pública. “Está abandonada e respirando por aparelhos no ES”, escreveu nas redes sociais. "O que falta é efetivo, planejamento, e principalmente, respeito com a preservação da nossa vida", afirmou em um outro momento. 

Há que se destacar que o deputado tem intensificado as aparições públicas  ao lado do prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini (Republicanos) que, aliás, tem como uma das principais bandeiras de gestão a segurança pública.

Para além de uma tentativa de ajudar a resolver o impasse entre o governo estadual e os rodoviários – que não deixa de ser uma iniciativa importante do presidente – Erick prepara o terreno para 2022. 

Sem contar que os rodoviários têm de sobra o que - ainda - falta a Erick:  popularidade.

Últimas