Observação turística de baleias jubarte retoma atividades no litoral de Vila Velha

A estimativa é de que pelo menos 30 mil baleias jubarte devem desbravar o litoral capixaba este ano

Foto: Leonardo Merçon/Amigos da Jubarte
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Na última segunda-feira (21), foi retomado o passeio para a observação turística das baleias jubarte. A expedição volta a acontecer após um período de suspensão devido a pandemia do novo coronavírus. A viagem mar adentro é coordenada pelo Projeto Amigos da Jubarte e neste ano, cerca de 30 mil baleias devem passar pelo litoral para amamentação dos filhotes e reprodução.

Para apreciar esse mamíferos, que podem atingir até 16 metros de comprimento, é necessário uma rápida viagem de 40 minutos. Após 25 km de barco saindo do litoral de Vila Velha já é possível encontrá-las em seu habitat natural. 

A subsecretaria de Turismo de Vila Velha, Neymara Carvalho, explica que a observação turística das baleira é um serviço conjunto entre a prefeitura e os órgãos responsáveis pela expedição. “Nessa época, a gente recebe a grata visita das baleias, que vêm acasalar, procriar e amamentar seus filhotes. Trabalhamos, ao longo dos anos, o turismo de observação de baleias junto com os órgãos responsáveis por esse segmento turístico”, afirmou.

O empresário Racine Tapias Filho conta que já passou momentos fascinantes ao se deparar com as baleias jubarte durante sua pescaria. “Elas vieram mais cedo este ano, no mês de junho. Antes costumávamos avistá-las só a partir de setembro. Na última saída para pescar, nos deparamos com centenas de baleias no entorno da lancha durante toda a pescaria. Uma cena incrível”, contou.

Regras durante a observação

Por mais fascinante que seja o contato com esses animais, alguns cuidados devem ser tomados para quem deseja avistar os mamíferos. Para a observação segura é necessário manter uma distância de 100m das baleias e caso estejam com filhote a distância mínima é de 200m.

Caso haja aproximação por parte do animal, o motor do barco deve ser mantido na função "neutro", também conhecida como ponto morto, para não influenciar a comunicação das baleias que acontece por sinais sonoros. Nesse caso é recomendado esperar a baleia se afastar para retomar a navegação para evitar risco de impacto.

Apesar de serem animais dóceis, não é permitido qualquer atividade de mergulho ou natação próximo aos mamíferos. O Ibama possui uma multa prevista em caso de descumprimento dessas regras, o valor da multa é de R$2500 reais podendo esse valor ser dobrado caso a infração aconteça em área de conservação ambiental.

O coordenador do Projeto Baleia Jubarte e da plataforma de pesquisa científica Jubarte Labe, Thiago Ferrari, garante que todas as normas e regras de legislação para proteção da espécie são seguidas no momento da observação.