Folha Vitória Operação da Delegacia de Crimes Contra à Vida da Serra leva policiais para os morros mais perigosos de Vitória

Operação da Delegacia de Crimes Contra à Vida da Serra leva policiais para os morros mais perigosos de Vitória

O helicóptero da PM sobrevoou baixo à procura de alvos da polícia na manhã deste sábado

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
Os policiais também estiveram no Bairro da Penha

Uma operação da Delegacia de Crimes Contra à Vida da Serra levou mais de 50 policiais para os morros mais perigosos de Vitória.

Cenas que parecem de filme de ação. Policiais fortemente armados por todos os lados, moradores abordados na entrada e saída do bairro. O helicóptero da PM sobrevoou baixo à procura de alvos da polícia. De casa, muita gente observava a movimentação depois de ser acordado. Essa foi a operação da Delegacia de Homicídios da Serra que aconteceu na manhã deste sábado (15). 

A ação começou no Morro da Garrafa, primeiro alvo da investigação. No local, os resquícios do uso de droga. Pelo menos 50 pinos de cocaína foram deixados no chão, o que torna a cena parte da rotina do morador. Em seguida os policiais seguiram para outro morro de Vitória, no bairro da Penha, conhecido pelo domínio do tráfico de drogas.

As caixas e papelões que os fogos são embalados ficaram pelo chão, o que indica que naquele exato local estavam os fogueteiros que anunciam a chegada da polícia para os traficantes fugirem.

A tropa de quase 60 policiais entre civis e militares da força nacional subiu até o topo do morro. Um policial de destaque é o 'Zac', o cachorro usado para encontrar drogas. Na mira dos policiais, moradores colocam crianças. Segundo a polícia, essa é uma das formas para inibir a ação policial. 

A operação deste sábado foi para o cumprimento de dois mandados de prisão e também de busca e apreensão relacionados a um homicídio que aconteceu no município da Serra.

Os policiais tinham informações de que os procurados estavam nesses morros de Vitória, apesar deles não terem sido encontrados, para o delegado, o saldo ainda é positivo porque ações como essa trazem mais segurança à população.

Com informações da repórter Nathália Munhão, da TV Vitória/ RecordTV

Últimas