Folha Vitória Operação integrada em Guarapari impede festa clandestina e fiscaliza comércios irregulares

Operação integrada em Guarapari impede festa clandestina e fiscaliza comércios irregulares

No momento em que os agentes chegaram no local do evento e informaram aos fornecedores dos decretos e das penalidades, os mesmos recolheram toda a aparelhagem já montada para o evento

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Uma ação integrada entre Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, inteligência da Sesp e servidores da Prefeitura de Guarapari impediu a realização de uma festa clandestina no município e fiscalizou 12 estabelecimentos comerciais. O intuito da ação é garantir o cumprimento dos protocolos de segurança para a prevenção da covid-19.

Bares, distribuidoras de bebidas e restaurantes foram alvos da operação que visava a aplicação de normas como higiene, regras de distanciamento, além das normas de segurança contra incêndio e pânico.

Durante a ação, que contou com a participação do secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, coronel Alexandre Ramalho, foram identificadas uma série de irregularidades que resultaram na emissão de seis autos de notificação e três autos de infração por parte da Prefeitura de Guarapari, além de um auto de infração emitido pelo Corpo de Bombeiros para um comércio que estava funcionando sem o alvará de incêndio e pânico.

Loteamentos particulares também foram alvos de busca no município. A gerência da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) identificou uma festa clandestina chamada "Paradise City" na região de Nova Guarapari. No local, os agentes encontraram a estrutura montada com caixas de som, bebidas, palco, equipamento para DJ e iluminação. Assim que os fornecedores dos equipamentos foram informados das penalidades, todo o material foi recolhido.

Também na região de Setiba, as equipes foram informadas de outro evento, porém nada foi encontrado. De acordo com o secretário Alexandre Ramalho, além do trabalho das forças de segurança, a ajuda da população também é essencial durante este período.

"Sempre que temos informações prévias, via denúncias, conseguimos agir e evitar que essas festas clandestinas aconteçam. Respeitamos muito o trabalho dos comerciantes e empresários de entretenimento, mas vivemos um momento ímpar na história e nossa prioridade é sempre salvar vidas e impedir a disseminação do vírus, se fazendo cumprir os decretos governamentais. Agradeço a todos que participaram da ação e reitero que a Sesp está à disposição para auxiliar", afirmou.

Dispersão na Praia das Castanheiras

Na madrugada deste sábado (9), por volta de 1h30, durante o patrulhamento da Polícia Militar, os policiais encontraram uma situação de aglomeração com o uso de caixas de som na Praia das Castanheiras, no Centro, em Guarapari. Houve uma tentativa de diálogo, mas sem sucesso, com isso as equipes posicionaram armas não letais e os presentes se prepararam para arremessar garrafas nos policiais.

Para dispersar a aglomeração e as possíveis agressões por parte dos presentes, foi necessário o uso de gás lacrimogêneo. Não houveram detenções nem feridos.

Últimas