Folha Vitória Osteoporose, câncer e depressão: veja os riscos da deficiência de vitamina D no organismo

Osteoporose, câncer e depressão: veja os riscos da deficiência de vitamina D no organismo

Para repor a vitamina no organismo, epecialistas recomendam praticar exercícios no sol. E, caso o seu médico considere necessário, pode ser feita uma suplementação

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Muitas pessoas associam a vitamina D, que é uma vitamina lipossolúvel, apenas à exposição à luz solar. Mas o que muitos não sabem, é que ela também pode ser obtida em maiores quantidades por meio do consumo de alguns alimentos de origem animal, como: peixes, gema de ovo e leite, por exemplo.

De acordo com a nutricionista, Fernanda Pignaton, estudos recentes demonstram que a vitamina D tem funções regulatórias vitais. "Regula a expressão de mais de 1.000 genes, participando decisivamente do funcionamento de vários órgãos e sistemas", disse. 

Por isso, alguns cientistas e estudiosos sugerem que a vitamina D seja considerada um “hormônio esteroide", ou seja, uma substância produzida pelo corpo humano e de fundamental importância para o correto funcionamento do organismo.

Saibaa quais são os principais benefícios da vitamina D para a saúde 

Necessária e indispensável para diversos processos do organismo, a especialista explicou que as principais funções da vitamina D são:

Aumenta a absorção de cálcio e fósforo no intestino:  auxilia no fortalecimento e manutenção da saúde de dentes e ossos. A Vitamina D e facilita a entrada desses minerais nos ossos, que são essenciais para a sua formação.

Prevenção da diabetes: atua na manutenção da saúde do pâncreas, que é órgão responsável pela produção de insulina.

Melhora do sistema imune: previne infecções bacterianas e virais.

Ação Antiinflamatória: diminui a produção destas substâncias inflamatórias e ajuda no combate às doenças autoimunes.

Prevenção de doenças como esclerose múltipla e alguns tipos de câncer: como de mama, próstata, colorretal e renal, já que participa no controle da morte celular e diminui a formação e proliferação de células malignas.

Melhora da saúde cardiovascular: pois atua diminuindo a pressão arterial e o risco de hipertensão e outras doenças cardiovasculares;

Auxilia no ganho de massa magra e previne o catabolismo: a vitamina D participa do processo de formação dos músculos e está ligada a uma maior força e agilidade muscular

Antioxidante: previne o envelhecimento precoce, já que impede os danos causados nas células pelos radicais livres.

Falta de vitamina D é prejudicial para a saúde, principalmente das mulheres

De acordo com a nutricionista, Fernanda Pignaton, a deficiência de vitamina D poderia causar alterações ósseas: como a osteomalácia ou a osteoporose nos adultos, e raquitismo nas crianças. 

Além disso, alguns estudos científicos relacionaram a deficiência dessa vitamina com maior risco de desenvolver alguns tipos de câncer, diabetes mellitus e hipertensão.

"Para a mulher, esta vitamina é ainda mais importante. Pois, durante a adolescência, contribui para a prevenção da Síndrome dos Ovários Policísticos, da endometriose e até da infertilidade. Além disso, durante a gestação, a vitamina D é responsável por prevenir complicações no parto, baixo peso fetal e a diabetes gestacional, bem como auxiliar em melhores resultados da fertilização in vitro", afirmou a nutricionista.

Outro fato importante, ainda segundo a especialista, é a baixa de Vitamina D estar diretamente associada à depressão. Um estudo feito na Irlanda mostrou que a falta deste nutriente pode aumentar o risco de depressão em pessoas com mais de 50 anos. 

Em relação ao ganho de peso, a nutricionista explicou que a vitamina D baixa é observada em grande parte dos indivíduos com sobrepeso e obesidade.

"Acredita-se que a ausência de boas quantidades desse nutriente no organismo não seja apenas consequência da menor exposição solar, mas também um dos fatores que pode ocasionar o acúmulo de gordura corporal", disse Fernanda. 

Fernanda destacou que quando a vitamina D está baixa alguns sintomas são comuns, como: 

- espasmos musculares; 

- sensação de cansaço, fraqueza e/ou mal-estar; 

- dor nos ossos e nos músculos; 

- osteoporose em adultos; 

- fraqueza nos ossos.

"Se observarmos todas as funções nas quais a vitamina está associada não seria errado pensar que, uma pessoa com baixa vitamina D estaria mais indisposta, com dificuldade de ganho de massa, pouca saúde do ponto de vista autoimune e ainda com possibilidade de sofrer com inflamações e doenças autoimunes além de depressão", destacou a especialista.

Veja abaixo 9 alimentos ricos em vitamina D:

1 – Óleo de fígado de bacalhau

2 – Bife de fígado

3 – Gema de ovo

4 – Atum

5 – Sardinha

6 – Salmão selvagem

7 – Queijo fortificado

8 – Cogumelos

9 – Suco de laranja

Para repor a vitamina no organismo, a nutricionista recomenda praticar exercícios no sol. E, caso o seu médico considere necessário, pode ser feita uma suplementação nas dosagens indicadas por ele.

A falta da vitamina D no organismo afeta o cabelo? Entenda

O folículo piloso, a raiz do cabelo, assim como a pele precisam de vitamina D para produzir queratina, a principal proteína formadora dos cabelos. 

De acordo com a farmacêutica tricologista, Cristal Bastos, "baixos níveis de vitamina D podem interferir negativamente na produção desta proteína, comprometendo o crescimento dos cabelos saudáveis".

A deificiência da vitamina pode tornar os cabelos frágeis e quebradiços, por isso, de acordo com a especialista, é importante "avaliar a suficiência de Vitamina D em exames laboratoriais, repor se for necessário"

Últimas