Folha Vitória Outros dois cabos já caíram na rua onde idosa morreu eletrocutada

Outros dois cabos já caíram na rua onde idosa morreu eletrocutada

De acordo com moradores de Ponta da Fruta, em Vila Velha, além da queda de cabos elétricos, o bairro também sofre com constantes quedas de energia

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Os moradores do bairro Ponta da Fruta, local em que Nair Magioni, de 65 anos, morreu eletrocutada após a queda de um cabo de energia, disseram que já ocorreram outras quedas de fios na região, inclusive do mesmo poste que Nair estava próximo no momento em que foi eetrocutada.

Ainda sem acreditar me tudo o que aconteceu, o morador Adenair Darcy Boudrini se emociona ao lembrar da cena que presenciou na última quarta-feira (26). Ele estava a poucos centímetros da vítima quando ela foi atingida pelo cabo da rede elétrica.

"Passou muito perto de mim e eu até consegui sentir um pouco. Quando pegou nela, ela só gritou e eu não pude fazer nada, eu não conseguia nem sair de onde eu estava. Vendo ela praticamente assando, com o fogo indo para todos os lados e a fumaça subindo e queimando", contou o morador.

Adenair tinha acabado de entregar as sacolas com as verduras para dona Nair. Ele contou que ela deu apenas três passos e logo foi atingida pelo cabo. A vítima foi arremessada e ficou no local por mais de duas horas até que a EDP chegasse para desligar a energia e ela pudesse ser socorrida.

Para Adenair e para os outros moradores de Ponta da Fruta, a ocorrência foi um problema já anunciado. O morador Vitor Cunha, vive a poucos metros de onde tudo aconteceu e contou que há dois meses, um cabo da rede elétrica tinha caído em uma rua próxima.

"Foi na Rua Amapá, que é uma rua do lado, caiu um cabo de energia em situação semelhante a essa. Um casal de amigos passava na rua e identificou isso. Eles me chamaram no portão comentando que o cabo estava se mexendo, correndo o risco de alguém vir a óbito caso tocasse nele. Eu liguei para a EDP, abri um chamado avisando do risco e mesmo assim eles demoraram três horas para chegar ao local", lembrou.

Ele descobriu também, que outro caso semelhante teria acontecido em fevereiro deste ano no mesmo poste em que caiu o cabo que tirou a vida da idosa. "No dia 9 de fevereiro outro cabo caiu nessa mesma rua. Eu fiquei sabendo disso hoje e aí reforça ainda mais a necessidade de uma inspeção urgente na rede elétrica daqui".

De acordo com a líder comunitária do bairro, Neinha Rocha, além dos perigos dos cabos que se soltam da rede elétrica, os moradores também sofrem com frequentes quedas de energia.

"A comunidade liga para a ouvidoria, faz protocolo mas não é atendida, não tem uma fiscalização no bairro", afirmou.

Familiares de Nair estiveram no local depois do acidente. O filho da vítima, Alexandre Magioini, disse que ela morava no bairro há apenas seis meses e que procurou o local em busca de tranquilidade.

"Ela ainda estava arrumando as coisas na casa dela. Ela veio para cá porque aqui é sossegado, sempre gostou de morar aqui e já morou aqui umas três vezes", disse o filho.

Por meio de nota, a EDP informou que se solidariza com os familiares da vítima e que está apurando o ocorrido. A distribuidora ressaltou ainda que executa um programa contínuo de manutenção, conforme as normas técnicas. Na tarde desta quinta-feira (27), peritos da Polícia Civil estiveram no local e funcionários da EDP também faziam manutenção no poste em que o cabo caiu.

* Com informações da repórter Milena Martins, da TV Vitória/Record TV.

Últimas