Folha Vitória Pandemia contribui para aumento da busca por apoio psicológico

Pandemia contribui para aumento da busca por apoio psicológico

Saiba quais os tipos e como aliviar o estresse causado pelo isolamento social

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O estresse é uma reação fisiológica do organismo quando é preciso se adaptar a novas situações, porém, se for por um período prolongado ou um nível muito alto, pode começar a gerar problemas físicos e emocionais. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o estresse atinge 90% da população mundial. Diante do isolamento social obrigatório por conta da pandemia de Covid-19, houve uma incidência de estresse, principalmente, por não ser uma escolha pessoal.

Estresse X Pandemia

"A pandemia gera medo e o medo gera ansiedade, logo, o estresse aumenta de forma brusca com a tentativa da pessoa de se adaptar a essa nova realidade", explica a psicóloga Alessandra G. Jacinto. "Grande parte dos meus atendimentos atuais estão relacionados ao estresse. Pessoas que precisam trabalhar de casa e cuidar dos filhos, professores, crianças que não podem brincar com seus colegas, idosos que não podem participar dos seus grupos de convivência, entre outras diversas situações que geram o estresse por conta do isolamento social", exemplifica a especialista.

Sinais

Taquicardia, hipertensão, tremor, dores de cabeça, tonturas, dores no corpo, queda de cabelo, cansaço constante, irritabilidade, alteração de humor, dificuldade de concentração, dificuldade para dormir, gastrite são alguns dos sintomas emocionais e físicos de quem procura por ajuda psicológica, e, que muitas vezes, não entende que esses sintomas são causados pelo estresse.

É importante diferenciar o estresse do cansaço. O cansaço se resolve com descanso, já o estresse, se não for bem administrado, pode ser perigoso, explica a psicóloga. "Por ser um esforço exagerado, o organismo libera uma série de reações, produz alguns hormônios em excesso como o cortisol e adrenalina causando um descontrole emocional, fazendo com que a pessoa perca o interesse pela rotina diária, correndo o risco de desenvolver depressão ou transtorno de ansiedade", completa.

Como aliviar o estresse?

Thais Aparecida é paciente da UBS Jd. Coimbra gerenciada pelo CEJAM e faz tratamento para Síndrome de Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional. "Caminhar ouvindo música, me alimentar bem, comer frutas, legumes e verduras, assistir séries, filmes, estar com a minha família e continuar com o acompanhamento médico tem ajudado a combater o estresse durante o isolamento social", destaca.

Ainda assim, Alessandra explica que é preciso ter consciência e entendimento do estresse e dos motivos que estão o causando, para que seja possível realizar atividades que o aliviem, como, por exemplo:

Foto: pexels
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

● Ter momentos de lazer em família;

● Assistir programas, filmes ou séries que você goste;

● Ouvir música;

● Manter uma alimentação saudável, diminuindo o consumo de açúcar,

alimentos industrializados e cafeína e aumentando o de vegetais,

grãos, e até mesmo chocolate 70% cacau;

● Praticar atividade física como correr, dançar, andar de bicicleta, nadar, alongar

e exercícios de respiração também;

● Tomar banhos aromatizantes.

Tipos de estresse

Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Existem alguns tipos diferentes de estresse, o agudo, que é uma reação do corpo diante de um fato estressante; o agudo episódico, quando os sintomas do estresse agudo se repetem com frequência; o crônico, quando já faz parte da rotina da pessoa; o pós-traumático, que se originaliza depois da pessoa ter sido vítima ou testemunha de situações violentas ou traumáticas e as lembranças desencadeiam alterações neurofisiológicas e o Burnout, que é uma síndrome resultante de um alto nível de estresse no ambiente de trabalho.

Últimas