Folha Vitória Panelas de barro capixaba ganham destaque na decoração valorizando a cultura local

Panelas de barro capixaba ganham destaque na decoração valorizando a cultura local

Um dos mais expressivos símbolos da cultura popular capixaba se associa a mobiliário assinado em novo showroom em um encontro com as paneleiras, na Stampa

Folha Vitória
Foto: Cloves Louzada
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A panela de barro, um dos mais expressivos símbolos da cultura popular capixaba, registrado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no Livro dos Saberes do Ministério da Cultura como Patrimônio Cultural do Brasil, vem ultrapassando os limites da gastronomia. Vai além da associação com a moqueca e pode ser inserida também no contexto da decoração. As paneleiras viram seu trabalho aplicado a produtos de alto luxo em um encontro na útlima quinta-feira (22).

Resgatar o artesanal e reforçar o sentimento de valorização da cultura local, do que é produzido de forma simples, porém carregado de significado, foi o objetivo da arquiteta capixaba radicada em São Paulo, Marilia Pellegrini, ao desenvolver a cenografia do primeiro andar da nova Stampa, em Vitória, com a presença das panelas de barro produzidas em Goiabeiras. Há mais de três décadas sendo referência em mobiliário assinado na capital, o showroom inovador agora agrega ainda mais as raízes capixabas às peças de designers premiados nacional e internacionalmente.

A profissional fez a curadoria junto às paneleiras e criou uma série de 80 peças como panelas e caldeirões, estes inclusive pensados para ser vasos de plantas que estão espalhados por toda a loja, e outras séries menores de jarros, copos e xícaras para os nichos do espaço. Logo na entrada, inclusive, já é possível sentir a presença das peças que, expostas na estante Icon, assinada pelo designer Jader Almeida, proporcionam um olhar inovador para esta combinação que casou perfeitamente!

“Foi uma entrega total por parte delas, que fizeram as peças em cerca de dois dias. O produto delas é tão sofisticado quanto a Stampa”, pontua Pellegrini.

Na última quinta-feira, dia 22, a diretora da Stampa, Carmem Dolores, recepcionou paneleiras que participaram do processo de confecção das panelas de barro para mostrar o resultado da composição deste casamento entre cultural popular e mobiliário assinado, alto luxo ao artesanato, rústico e natural.

Essa é uma tendência mundial intensificada após a pandemia. “A casa mais do que nunca precisa de alma e referências locais, trazendo ao afeto, a natureza e o feito a mão para dentro do conforto e do luxo” explica Marília Pellegrini.

Últimas