Folha Vitória 'Parece que tiraram um pedaço de mim', diz mãe de jovem morta há 2 meses em Vila Velha

'Parece que tiraram um pedaço de mim', diz mãe de jovem morta há 2 meses em Vila Velha

O marido da vítima, suspeito de cometer o crime, voltou para prisão na última sexta-feira (25)

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Tristeza e boas recordações. Esses são os sentimentos que ficaram para a família de Vivian Lima, de 29 anos, assassinada há dois meses. O principal suspeito de cometer o crime é o ex-marido da vítima. Parentes contaram que o casal tinham constantes discussões. 

Com os olhos cheios de lágrimas, Solange Lima de Almeida se emociona ao lembrar da filha, uma saudade que para ela é difícil de controlar. "Eu não estou acreditando que ela morreu. Fico esperando ela entrar pelo portão e dizer 'mãe, cheguei'. Eu era uma pessoa alegre, sorridente. Agora, me sinto triste. Me dá vontade de chorar, não tenho vontade de fazer nada. Parece que tiraram um pedaço de mim. Acho que ninguém vai entender o que estou sentindo", disse.

Segundo o cunhado da vítima Fabio Reis Leite a família ainda procura entender o que teria motivado o crime. "A gente se pergunta o tempo todo o porquê ele ter feito isso. Ele não matou só ela, matou a família toda", desabafou.

Vivian Lima de Almeida foi encontrada morta enrolada no tapete da casa em que morava com o marido e o filho, no bairro Araçás, em Vila Velha. O crime aconteceu no inicio do mês de agosto. O corpo da vítima tinha sinais de agressões. 

Logo após o ocorrido, a família desconfiou que Thiago Cruz, marido de Vivian, pudesse ter envolvimento com o assassinato da mulher. Câmeras de vídeo monitoramento da região flagraram o suspeito entrando e saindo de casa próximo ao horário em que a vítima foi morta. 

Assim que o suspeito foi intimado para prestar depoimento, a policia cumpriu o mandado de prisão temporária. Thiago ficou preso por 30 dias, mas com o vencimento do mandado ele foi solto no inicio de setembro. 

Na ocasião, o Ministério Público do Espírito Santo entrou com um recurso pedindo que Thiago continuasse preso. A Polícia Civil também pediu a prorrogação da prisão temporária. Na última sexta-feira (25), a Justiça decretou a prisão preventiva e Thiago voltou para o Centro de Triagem de Viana. 

Fabio contou que a volta do suspeito para a cadeia deixou a família aliviada. Eles esperam que a justiça seja feita. "Foi uma morte muito cruel. Ele a torturou, a mutilou para induzir a acreditar que era outra pessoa. A gente espera que ele não saia da cadeia novamente", disse o cunhado. 

*Com informações do repórter Vitor Moreno, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas