Folha Vitória Pedreiro é assassinado a facadas após entrar em briga de casal na Serra

Pedreiro é assassinado a facadas após entrar em briga de casal na Serra

De acordo com familiares da vítima, esta não seria a primeira discussão envolvendo os três

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Após se envolver em uma briga de casal, um pedreiro foi morto a facadas no bairro Serra Dourada 1, na Serra. Tudo aconteceu na madrugada desta terça-feira (13) em um bar. A vítima conseguiu fugir do local, mas logo foi alcançada pelo suspeito que o golpeou com três facadas. O homem morreu na ambulância.

O caso teve início por volta de uma hora da madrugada. O pedreiro Antônio Mendes Soares, de 44 anos, estava em um bar bebendo junto com uma amiga, de 52 anos, e o marido dela. O clima estava tranquilo, até o casal começar uma briga por ciúmes.

Testemunhas disseram que após os três começarem a discutir, o marido da mulher pegou uma faca e foi em direção ao pedreiro, que conseguiu correr por várias ruas do bairro até chegar em uma esquina, mas infelizmente o homem foi alcançado pelo suspeito que golpeou ele com três facadas. 

Moradores disseram ouvir gritos do pedreiro pedindo socorro e chamaram a polícia e o Samu. O homem chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu dentro da ambulância. Os moradores também disseram que viram o suspeito fugindo com a faca na mão por uma rua do bairro.

A irmã do pedreiro, Cleonice Mendes Soares, recebeu a triste notícia durante a manhã desta terça-feira. Ela conta que...

"Eu acordei com meu filho me ligando falando 'mãe eu tenho uma notícia para te dar, mas não é boa, eles acabaram de matar o seu irmão'. Eu levei o maior susto. Eu já tenho depressão, tomo remédio para dormir", contou.

De acordo com populares, os três estavam alcoolizados quando o crime aconteceu e segundo a família, Antônio estava morando na casa deste casal há algum tempo.

"Eu sempre dava conselho pra ele arrumar um lugar para morar, para não se misturar com esse pessoal. Comigo ele não podia morar porque minha casa é bem pequena. Ele dizia que estava trabalhando, que tinha dinheiro e que iria alugar um lugar para morar, mas nunca fez isso", explicou a irmã do pedreiro.

Essa mesma amiga do Antônio, que estava ano bar, já teria ferido o marido durante outra briga envolvendo os três. Cleonice lembra que mesmo após esse caso de agressão, o casal continuou morando na mesma casa junto com Antônio.

Agora, além da saudade do irmão, Cleonice deseja que a justiça seja feita. "É muito triste saber que mataram um irmão da gente, ainda mais com facada. Tomara que eles encontrem esse pessoal, tomara que a polícia corra atrás. Eu não tenho nada que reclamar do meu irmão, porque ele era trabalhador", disse Cleonice.

* Com informações da repórter Rafaela Freitas, da TV Vitória/Record TV.

Últimas