Folha Vitória Piloto morto em acidente de helicóptero já promoveu 'chuva' de pétalas em evento religioso

Piloto morto em acidente de helicóptero já promoveu 'chuva' de pétalas em evento religioso

A celebração aconteceu no dia 12 de outubro de 2017 e comemorou os 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida

Folha Vitória
Foto: Julio Huber/Montanhas Capixabas
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O piloto do helicóptero que caiu em uma área do bairro Riviera da Barra, em Vila Velha, na manhã desta quarta-feira (6), já havia participado, há pouco mais de três anos, de um momento marcante para milhares de fiéis que participaram de uma caminhada e da celebração religiosa na comunidade de Aparecida, em Alfredo Chaves, na região serrana do Espírito Santo. 

Octavio Schneider Queiroz conduzia a aeronave que promoveu uma verdadeira "chuva" de pétalas de rosas sobre as pessoas que acompanhavam a celebração. O evento aconteceu no dia 12 de outubro de 2017 e comemorou os 300 anos da aparição da imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Segundo informações do site Montanhas Capixabas, voltado para notícias da região serrana do estado, após caminharem por mais de seis quilômetros entre o Centro de Marechal Floriano até a comunidade de Aparecida, os fiéis foram surpreendidos por uma chuva de pétalas de mais de 700 rosas, lançadas do helicóptero sobre a multidão emocionada.

Ainda de acordo com a publicação, o cálculo dos organizadores, na época, foi de que cerca de 5 mil pessoas participaram da programação. Além de moradores da região, ônibus de diversas partes do Estado levaram os fiéis para a celebração.

O momento em que as pétalas começaram a cair do helicóptero sobre a multidão foi registrado pelo jornalista Júlio Huber, do Montanhas Capixabas. O vídeo foi cedido ao Folha Vitória.

Assista ao vídeo:

Piloto experiente

O piloto profissional Celso Pimentel, amigo de Octavio, afirmou que ele era experiente e habilidoso em dirigir helicóptero. À reportagem da TV Vitória/Record TV, Celso afirmou que não dá para saber o que provocou a queda da aeronave, e que a maior parte das informações não passa de especulações.

"Ficamos sabendo que ele já vinha em aproximação para pouso, quando provavelmente, teve um problema no rotor de cauda, o helicóptero começou a girar e culminou na queda da aeronave. Agora o caso será apurado pelas autoridades de viação civil para determinar a causa. O próximo passo é que a aeronave será removida e periciada. O mais lamentável é que perdemos um grande amigo", lamentou Celso.

Além de Octavio, que tinha 68 anos, a namorada dele, Lucimara Poleto, de 52, morreu após a queda do helicóptero, na manhã desta quarta-feira. Câmeras do Aeroclube do Espírito Santo, que fica próximo ao local do acidente, registraram o momento em que o helicóptero se chocou contra o chão.

Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Segundo o Corpo de Bombeiros, a aeronave havia saído de Guarapari. No momento da queda, pessoas próximas à área do acidente fizeram os primeiros atendimentos. O Samu também foi ao local e prestou atendimento às vítimas, que estavam em situação grave e não resistiram, vindo a óbito.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a aeronave estava com o registro regularizado. As causas do acidente serão investigadas por integrantes do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Um dos moradores da região afirma que escutou um barulho muito forte no momento do acidente. E ao chegar na rua, viu a aeronave caída e uma das vítimas desacordada do lado de fora. Ele ainda revela que a aeronave estava se preparando para pousar no momento em que caiu. 

Últimas