Folha Vitória Piloto que morreu em queda de helicóptero tinha 40 anos de experiência com voos

Piloto que morreu em queda de helicóptero tinha 40 anos de experiência com voos

O corpo de Octavio foi liberado do DLM na noite desta terça-feira e seguiu para o enterro; o corpo de Lucimara segue no local para os trâmites de liberação

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Na manhã desta quarta-feira (6), um caso chocou a região de Riviera da Barra, em Vila Velha. Duas pessoas morreram após a queda de um helicóptero. Uma das vítimas, o piloto e proprietário da aeronave, Octavio Schneider Queiroz, de 68 anos, possuía pelo menos 40 de experiência com voos.

Imagens do Aeroclube do Espírito Santo registraram o momento exato da queda do helicóptero. No vídeo é possível ver quando a aeronave surge do lado esquerdo e rapidamente perde altitude. Veja!

Tudo aconteceu a poucos metros do Aeroclube de Vila Velha, quando o casal voltava de Guarapari. Na tarde desta quarta-feira, o irmão do piloto esteve no Departamento Médico Legal (DLM) de Vitória para a liberação do corpo de Octavio. Muito abalado com a situação, ele não quis gravar entrevista.

Uma amiga de Octavio também esteve no DML para ter certeza do que tinha acontecido com o piloto. Ela preferiu não gravar entrevista, mas contou à equipe de jornalismo que conhecia Octavio há muitos anos e que diversas vezes esteve em voos conduzidos por ele e que até já saltou de paraquedas em uma das ocasiões.

Ela também lembra que sempre que ficava sabendo de algum acidente de helicóptero ou avião, mandava mensagem para Octavio para saber se não era com ele. Desta vez não foi diferente, ela mandou a mensagem para o amigo assim que soube da queda de um helicóptero em Vila Velha, mas não teve resposta.

Moradores tentaram resgatar as vítimas

Bastante assustados com a situação, moradores da região que viram o momento da queda da aeronave se dirigiram até o local para conferir a presença de vítimas e prestar os primeiros socorros. Um vídeo gravado por um desses moradores, mostra o momento em que eles tentam socorrer o piloto e a passageira. Veja!

Uma das moradoras que esteve no local do acidente foi a enfermeira Losani Oliveira e ela conta a situação em que encontrou as vítimas. "Eu já posicionei a vítima, uma mulher, para ela não fraturar a coluna. Ela estava com vida, respirando, porém com as pupilas desordenadas", disse.

Octavio e Lucimara receberam atendimento médico do Samu por aproximadamente 50 minutos, mas nenhum dos dois resistiu ao ferimentos. De acordo com o conselho do Aeroclube de Vila Velha, Octavio tinha pelo menos 40 anos de experiência com voos.

Celso Pimentel é amigo do piloto e chegou ao local do acidente minutos depois da ocorrência. Ele falou sobre a experiência de Octavio com aeronaves e apresentou uma hipótese sobre o que deve ter ocorrido no momento da queda. "Ele vinha na aproximação final para pouso, provavelmente teve algum problema no rotor de cauda e o helicóptero começou a rodar o que culminou com a queda dele", explicou.

Leia também: Piloto morto em acidente de helicóptero já promoveu 'chuva' de pétalas em evento religioso

Em 2017 o piloto Octavio participou de uma homenagem à Nossa Senhora Aparecida na cidade de Alfredo Chaves. Por se tratar de um meio de transporte caro, na época Octavio dizia que o helicóptero era contratado para viagens de grandes empresários e devido ao alto curso da manutenção, ele costumava alugar a aeronave.

O acidente segue em investigação pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) e de acordo com o órgão, terá o menor prazo possível, dependendo da complexidade do acidente.

O corpo do piloto Octavio Schneider Queiroz, 68 anos, foi liberado do DLM na noite desta terça-feira e seguiu para o enterro, mas o corpo de Lucimara Poleto, 52 anos segue no local para os trâmites de liberação.

* Com informações do repórter Vitor Moreno, da TV Vitória/Record TV.

Últimas