Folha Vitória Polícia diz que homem bateu em criança de 1 ano por ciúmes da companheira em Cariacica

Polícia diz que homem bateu em criança de 1 ano por ciúmes da companheira em Cariacica

O Conselho Tutelar de Cariacica apura se a outra menina, de 3 anos, também foi agredida

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A mãe da menina de 1 ano e 7 meses, que foi espancada pelo padrasto, contou que as agressões começaram no final de semana. O suspeito, de 24 anos, disse para a polícia que espancou a criança por ciúmes da companheira e que não gosta da menina, pois ele a associa ao antigo relacionamento da mulher. O Conselho Tutelar de Cariacica apura se a outra menina, de 3 anos, também foi agredida.

Segundo a mãe da criança, que preferiu não ser identificada, contou que, no domingo, o companheiro começou a bater na filha dela. "De sábado para domingo ele começou a bater nas costas dela. Na segunda-feira eu ia acionar a viatura, mas minha vizinha passou mal e fui com ela ao hospital. Hoje (terça) ele acordou agressivo e bateu nela até a hora que ele foi trabalhar", contou.

A mulher, de 22 anos,  afirmou ainda que era trancada em casa pelo companheiro. "Uma vez o vizinho chamou a viatura e os policiais tiveram que entrar pela janela e me perguntaram porque eu estava trancada. Eu disse que tinha perdido a chave. Ele me ameaçava de morte. Hoje mesmo ele falou que se eu não consumisse com minha filha da casa dele, ele iria consumir comigo e com ela", relatou.

O casal morava no bairro Nova Rosa da Penha 1, em Cariacica. A mulher disse que estava com o suspeito há  9 meses e que o relacionamento era conturbado. "Começou com um tapa na cara, um soco, me xingava. Depois vinha, pedia desculpas e falava que ia mudar e eu tinha esperança de que ele mudaria mesmo", disse a vítima, que lembrou ainda que foi agredida quando estava grávida e precisou ser levada ao hospital com hematomas.

De acordo com a delegada que investiga o caso, o suspeito disse que espancou a criança por ciúmes da companheira. Ele teria dito ainda que não gosta da menina, por associar a criança ao antigo relacionamento da mulher. A menina agredida foi levada para o Hospital Infantil de Vitória. A dona de casa disse que cansou de ver a filha sendo espancada.

O Conselho Tutelar de Cariacica foi acionado e acompanhou a família. Segundo o conselheiro Edwilson de Almeida Tonino, a menina de 3 anos também apresenta hematomas pelo corpo. "Nós vamos levar a criança para os responsáveis, que é o DML (Departamento Médico Legal), para ver se isso é fruto das agressões", disse.

O suspeito que foi preso enquanto trabalhava em um supermercado foi autuado pelos crimes de tortura majorada, pela vítima ser criança, e pelos crimes de lesão corporal qualificada e constrangimento legal, em face da companheira.

Além das crianças de 1 ano e 7 meses e da 3 anos, a mulher tem uma bebê de 20 dias. O suspeito é pai apenas da mais nova. Agora, a mãe e as 3 filhas vão viver em um abrigo. O conselheiro alega que esse tipo de caso sempre é registrado na Grande Vitória e, com a pandemia, as ocorrências aumentaram. "Infelizmente nós enfrentamos isso todos os dias e, realmente, é uma situação muito complicada. Nós lutamos para que isso não aconteça", relatou.

*Com informações do repórter Waslley Leite, da TV Vit´´oria/Record TV

Últimas