Folha Vitória Polícia prende três suspeitos de roubar rede de postos de combustíveis em Guarapari

Polícia prende três suspeitos de roubar rede de postos de combustíveis em Guarapari

O crime foi organizado por um funcionário demitido que contou com a ajuda de outro que estava trabalhando no posto

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Três suspeitos de roubarem um malote em uma rede de postos de combustíveis de Guarapari foram detidos nesta sexta-feira (09). O crime teria sido planejado por um frentista que foi demitido e ele teria contado com a ajuda de outro funcionário do posto.

Uma prática comum entre os funcionário do posto era o compartilhamento de notas fiscais. As impressões continham os valores arrecadados durante os dias de trabalho, porém em duas notas específicas o valor teria chamado a atenção de um dos trabalhadores.

"Naqueles dias houve um faturamento extraordinário, quase que um recorde para a rede, algo que foi objeto de comemoração entre os gestores  e que chamou a atenção também dos funcionários. As informações relacionadas à arrecadação do posto, até então, eram abertamente compartilhadas entre os funcionários", explicou o delegado Guilherme Eugênio.

Devido a esse faturamento, segundo a polícia, um ex-funcionário do estabelecimento, que havia sido detido, planejou o crime com a ajuda de um frentista que estava trabalhando no local.

No dia 7 de dezembro do ano passado, dois homens executaram a ação.  "Os autores aguardaram a passagem da vítima por uma avenida movimentada do  município de Guarapari. Eles ficaram parados a bordo da moto na saída que dá acesso ao bairro São Gabriel. Assim que a vítima passou por lá, eles a seguiram com a moto e na posse de uma arma de fogo abordaram a vítima e exigiram, inicialmente, os valores que ela transportava e depois eles roubaram também o celular", contou o delegado.

Nesta sexta-feira foram detidos o funcionário do posto e a dupla que estava na moto na época do roubo. "Os presos são o autor direto do roubo, ou seja, aquele que apontou uma arma para a vítima, o piloto da motocicleta e o funcionário que ainda trabalha na rede e que prestou as informações necessárias para o crime", afirmou Eugênio.

Ao todo foram três meses de investigação. A polícia ouvir funcionários, cruzou informações trocadas entre eles, analisou imagens de circuito de videomonitoramento e conseguiu chegar até os suspeitos. 

"Dois dos presos são tidos no nosso meio como pessoas que vivem da prática do crime e eles foram recrutados pelos funcionários do posto para essa ação criminosa. Esses dois que executaram o assalto, são investigados também em outros crimes, principalmente relacionados à pratica de roubo e furto na zona rural, inclusive por furto de gado", afirmou.

O ex-funcionário chegou a ser preso no dia do crime pois estava com um carro roubado, mas foi ouvido e liberado. Até então a polícia não tinha a informação do envolvimento dele no assalto. As investigações apontam o envolvimento de outras pessoas nesta quadrilha. 

* Com informações do repórter Waslley Leite, da TV Vitória/RecordTV.

Últimas