Folha Vitória Prédio que ameaça desabar em Vila Velha passa por escoramento e construtora é notificada

Prédio que ameaça desabar em Vila Velha passa por escoramento e construtora é notificada

A construção apresentava irregularidades desde a apresentação do projeto, pois no papel foi autorizada a construção de quatro pavimentos, mas o edifício executado possui seis andares

Folha Vitória
Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

No início desta semana, um prédio situado no bairro Nova Itaparica, em Vila Velha, ameaçou desabar. A Defesa Civil foi acionada e o edifício precisou ser interditado, mas agora, todo o prédio teve que passar por escoramento com vigas de ferro, uma medida de segurança para que os reparos fossem feitos em toda a estrutura do local.

Após a etapa de instalação dessas novas vigas, equipes farão uma avaliação da segurança do local. Para isso, será feito um trabalho de reparo nas vigas e colunas que foram danificadas ao longo do prédio. 

"Toda parte de escoramento da estrutura será finalizada, quando isso se concretizar, será feita uma inspeção dos engenheiros e da Defesa Civil do município e do estado e eles vão autorizar, observando a segurança do ambiente, para que os profissionais da empresa possam fazer o reparo das pilastras", explicou o coordenador adjunto da Defesa Civil de Vila Velha, Afonso Belenda.

Foto: Reprodução / TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O edifício em questão está situado na Avenida do Canal, e o problema ganhou repercussão após denúncias dos moradores do local que disseram ouvir diversos estalos na estrutura do prédio no último domingo (24). Na base da construção é possível ver vigas a mostra, colunas danificadas e uma estrutura completamente comprometida.

Situação dos moradores

As 22 famílias que vivem no Edifício Santos 2 tiveram que abandonar suas habitações e se hospedar em um hotel de Vila Velha. A região que fica ao redor do prédio precisou ser isolada e outros moradores das proximidades também foram orientados a saírem de suas casas. Mas de acordo com a Defesa Civil, a medida em que o edifício fica mais seguro, o raio de isolamento será reduzido.

Histórico do local

A obra do local é recente, o prédio tem cerca de dois anos, mas o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Espírito Santo (CREA-ES), informou que o projeto apresentado na época da construção não condiz com a obra executada.

"Inicialmente o levantamento que se tem é que foi feita um RT para quatro pavimentos e posteriormente foram construídos os quinto e sexto pavimento, inclusive dentre as notificações que foram entregues hoje está a notificação do quinto e sexto pavimento", apontou engenheiro de Segurança do Trabalho do CREA-ES, Sergio Augusto Azevedo Santos.

De acordo com a Prefeitura de Vila Velha, em relação aos prédios, não foram encontrados registros de licenciamento para o andamento de obra e nem do "Habita-se", documento responsável pela liberação da obra.

Além do Edifício Santos 2, outros três prédios foram levantados pela mesma construtora na mesma rua e os moradores também reclamam de falhas na construção.

O CREA informou que a empresa responsável pela construção do prédio está fazendo uma vistoria para averiguar as condições dos demais edifícios que também foram construídos por eles. O engenheiro Sergio disse que o procedimento de vistoria é de total responsabilidade da empresa pois se um prédio recente, como o Edifício Santos 2, apresenta problemas, outras construções no mesmo padrão também podem apresentar danos semelhantes.

Mesmo com os reparos em adiantamento, ainda não é possível confirmar um prazo ou uma data definitiva para o retorno dos moradores ao prédio.

* Com informações do repórter Vitor Moreno, da TV Vitória/Record TV.

Últimas