Folha Vitória Prefeituras da Grande Vitória negam redução de testagem para a covid-19 no final do ano

Prefeituras da Grande Vitória negam redução de testagem para a covid-19 no final do ano

Nas últimas coletivas de imprensa, o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, afirmou que a transição das gestões municipais e as festas de fim de ano teriam contribuído para uma redução nas testagens

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Com a última atualização do Mapa de Risco para a covid-19, desenvolvido pelo governo do Estado e que passou a valer nesta segunda-feira (11), oito municípios foram classificados em risco alto para a doença. No entanto, houve troca de três cidades: Guarapari e Linhares, por exemplo, passaram para o risco moderado.

Entretanto, a suposta queda no número de casos em alguns municípios, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), é explicada pela redução da capacidade de testagem. O motivo, segundo a secretaria, seria a transição de comando das prefeituras, além dos feriados e das festas de fim de ano.

"A constatação dos casos observados está prejudicada no Estado do Espírito Santo, por conta da redução da testagem, por parte dos municípios, em virtude das transições que ocorreram no mês de dezembro e também das festas de fim de ano", destacou o secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes, durante uma coletiva de imprensa realizada na última sexta-feira (8).

Já as prefeituras alegaram motivos diferentes para a redução das testagens. Em Vitória, por exemplo, a explicação foi a ausência dos próprios pacientes. Quatro em cada dez estavam com os sintomas, agendaram os exames, mas nos dias e horários marcados, não compareceram.

"A capacidade e a oferta de testes, pelo município de Vitória, foi preservada ao longo do mês de dezembro e durante o período festivo. Mesmo com a capacidade de oferta preservada, tiveram em torno de 40% de absenteísmo de pacientes suspeitos, com agendamento marcado para realizar a coleta, que não se apresentaram para coletar o exame", afirmou Nésio Fernandes durante coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (11).

Na Serra, o prefeito Sérgio Vidigal garantiu que não houve redução no número de testes, e que a capacidade será ampliada em fevereiro, de 7 mil para 10 mil exames. "Seria até uma irresponsabilidade eu, como médico, fazer esse trabalho. Nós estamos ampliando a oferta de serviço. Para se ter uma ideia, eu estou preparando o município para o agendamento da possível cobertura vacinal. A previsão nossa é, a partir de fevereiro, definir algumas unidades para fazer a testagem. Nós temos hoje as regionais e também as três UPAs que estão preparadas para poder também fazer as testagens", disse o prefeito.

Cariacica também negou a redução da testagem, mesmo com mudança de gestão. Já Vila Velha informou que a explicação está no período de férias, quando há menor procura por exames, inclusive da covid-19.

"Temos, neste momento, ociosidade da capacidade de testagem do laboratório central e da rede privada credenciada. Iremos consolidar a possibilidade de que os municípios, tanto da Grande Vitória quanto do interior, possam enviar diretamente as suas amostras biológicas de swab nasal para os laboratórios credenciados nas próprias cidades do interior do estado", ressaltou Nésio Fernandes.

Com informações da jornalista Andressa Missio, da TV Vitória/Record TV 

Últimas