Folha Vitória Preso por estupro na Serra era amigo do pai da criança e abusava da vítima há três anos

Preso por estupro na Serra era amigo do pai da criança e abusava da vítima há três anos

O menino, de 12 anos, disse que sofria os abusos desde os 9. Criança relatou a violência após assistir a uma reportagem sobre estupro de vulnerável

Folha Vitória
Foto: Reprodução / Record Minas
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O homem de 53 anos preso no Espírito Santo, suspeito de estuprar um menino de 12 anos, em Minas Gerais, cometia os abusos há cerca de três anos. Segundo a polícia, foi a própria criança que contou para uma tia sobre a violência sofrida, logo depois de assistir a uma reportagem sobre estupro de vulnerável.

O suspeito foi encontrado no bairro Costa Dourada, na Serra, após uma operação conjunta da Polícia Civil de Minas Gerais e do Espírito Santo. Ele foi levado de volta para o estado mineiro e pousou no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, na tarde da última sexta-feira (02).

"No momento em que a criança revelou os fatos e foi até a polícia, junto com sua família, para noticiar que era vítima de estupro há três anos, esse homem foi ouvido, negou tudo e, de imediato, evadiu para o estado do Espírito Santo. A Polícia Civil de Minas Gerais efetuou diligências e descobriu que esse homem estava escondido nas imediações da região metropolitana de Vitória, mais precisamente na comarca de Serra. Ele estava na residência de conhecidos, em um sítio, e ali efetuamos a prisão dele", contou a delegada Iara França.

O homem estava foragido da Justiça desde que o caso foi denunciado, em abril deste ano. O suspeito estava com um mandado de prisão preventiva em aberto e era investigado pelo crime de estupro de vulnerável.

De acordo com informações da polícia, o menino sofreu os abusos dos 9 aos 12 anos de idade. Um dos casos de violência foi presenciado pelo irmão mais velho dele, que também teria sofrido uma tentativa de agressão sexual pelo mesmo homem. Por medo, os dois meninos não teriam contado sobre a violência para ninguém da família.

"A gente ressalta que é muito difícil para uma criança informar de imediato o que acontece. Ela precisa desse trabalho psicológico até mesmo para entender o que aconteceu", afirmou a delegada.

O suspeito detido na sexta-feira trabalhava como motorista de ônibus na capital mineira, onde morava com o pai da vítima, na região do Barreiro.

"Os genitores dessa vítima eram separados e a criança visitava o pai a cada 15 dias. O investigado, por ser um grande amigo do pai das crianças, residia com ele e, portanto, teve acesso amplo e irrestrito a essas crianças, todas as vezes que elas visitavam o pai", contou Iara França.

Ainda segundo a delegada da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, o menino relatou os abusos sofridos desde 2019, após assistir a uma reportagem sobre o assunto na televisão.

"Como é importante empoderar a criança, explicar para ela o que é certo e o que é errado, o que significa abuso, independente da idade dela. Claro, sempre utilizando as palavras corretas de acordo com a idade da criança", orientou a delegada.

"No caso desse menino, ele estava vendo uma reportagem que tratava sobre abuso sexual. Ele estava na casa da avó e questionou a tia dele o que exatamente seriam as partes íntimas. No momento em que a tia explicou e sentou com ele para assistir à reportagem, esse menino caiu em desespero, chorou e revelou que era vítima, e que não entendia o que acontecia com ele, aqueles atos que o investigado praticava com ele há três anos", completou.

* Com informações da Record TV.

Últimas