Folha Vitória Presos sete suspeitos de participar de duplo homicídio em Vila Velha

Presos sete suspeitos de participar de duplo homicídio em Vila Velha

Além das pessoas detidas, outras quatro pessoas ainda estão foragidas

Folha Vitória
Foto: TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Sete pessoas suspeitas de participação em um duplo homicídio no bairro Dom João Batista, em Vila Velha, foram presos pela Polícia Civil. A operação que resultou na prisão dos suspeitos aconteceu na última segunda-feira (08). Os suspeitos foram presos provisoriamente. Outras quatro pessoas, que também são investigadas por participação no crime, ainda estão foragidas. 

De acordo com o delegado Tarik Souki, responsável pela investigação do crime, foram presos dois executores, uma intermediadora e um suspeito de ser o fornecedor de armas e olheiro do grupo, além de três lideranças da organização criminosa.

O caso aconteceu em março do ano passado. Segundo a polícia, o alvo dos criminosos era Vinícius Júnior Martins Manferrary, de 17 anos. Na ocasião, o adolescente era o gerente do tráfico de drogas no bairro. 

Uma das vítimas, conhecida como Bia, foi baleada diversas vezes, em um local conhecido pela polícia por causa do tráfico de drogas. A outra vítima era um vendedor de picolé. Segundo a polícia, eles estavam no meio de um fogo cruzado entre traficantes rivais.

"Esses dois grupos, que pertencem a esse bairro, disputam o domínio na venda de drogas e, por isso, ceifou tantas vidas naquele bairro, também incluindo o bairro Aribiri", destacou Tarik Souki.

O delegado também falou sobre os quatro suspeitos que seguem foragidos. "William Zanolli, que é um narcotraficante homicida autor de mais de dez homicídios nos municípios de Vila Velha e Guarapari; Rafael Oliveira, que também é um narcotraficante homicida que participou do duplo homicídio ocorrido no dia 25 de dezembro de 2019; Isaías, vulgo 'Guerreiro', que também é narcotraficante e homicida que participou da criança Alice; e, além disso, também o Maicon Bocão, que também é um narcotraficante e homicida que está foragido do sistema penitenciário", listou.

Homicídios

Para a polícia, o que está por trás de tantas prisões e homicídios no bairro é a disputa entre dois grupos criminosos pelo tráfico de drogas. Desde de 2019, 26 pessoas foram assassinadas na região. Dentre as vítimas, estão pessoas inocentes, com Alice Silva Almeida. A menina de 3 anos foi baleada quando brincava no quintal de casa, em fevereiro do ano passado. 

De acordo com a polícia, Vinícius também seria o alvo dos criminosos quando a criança foi assassinada. O adolescente chegou a ser apreendido, mas foi morto dias depois de ser liberado, em setembro do ano passado.

"Tanto no duplo homicídio, ocorrido no dia 13 de março de 2020, quanto no homicídio da criança Alice, ocorrido no dia 9 de fevereiro de 2020, o alvo principal era Vinícius Manferrary", frisou Tarik Souki.

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), o bairro Dom João Batista foi o que teve o maior número de assassinatos em Vila Velha, no ano passado. Ao todo, foram registrados 13 homicídios. Além disso, 26 pessoas foram presas e 35 mandados de busca e apreensão foram cumpridos.

Quem faz o patrulhamento na região sabe que a briga entre os grupos criminosos amedrontam os moradores. "O bairro de Dom João Batista e os ao lado, Aribiri, entre outros, realmente foram considerados os mais perigosos, os mais violentos de Vila Velha. Então, com essas ações da Polícia Civil, integrada ao patrulhamento intensivo da Guarda Municipal de Vila Velha no local, a gente consegue ter algumas respostas. A redução da criminalidade no local. É um desafio gigantesco para todas as forças de segurança, mas que nós estamos enfrentando e vamos continuar enfrentando", destacou a agente da Guarda Municipal de Vila Velha, Landa Marques.

*Com informações do repórter Lucas Pisa, da TV Vitória/Record TV. 

Últimas