Folha Vitória Profissionais da saúde do ES foram reinfectados pela covid-19 mesmo após vacinação, diz secretário

Profissionais da saúde do ES foram reinfectados pela covid-19 mesmo após vacinação, diz secretário

Fala do secretário se deu durante uma citação sobre a eficácia dos imunizantes contra o novo coronavírus

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Profissionais da saúde do Espírito Santo foram diagnosticados com a covid-19, mesmo após receberem a vacina contra a doença. A informação foi confirmada pelo secretário de Saúde do Estado, Nésio Fernandes, durante coletiva realizada na tarde de terça-feira (23).

Segundo o secretário, apesar de tratar-se de uma reinfecção, os sintomas evoluíram de forma leve. "Já temos relatos de infecção de pacientes que tiveram a covid no ano passado, foram vacinados e contraíram a doença após 28 dias de vacinação, entre trabalhadores da saúde. No entanto, os sintomas apresentados foram leves", afirmou.

A fala do secretário se deu durante uma citação sobre a eficácia dos imunizantes. Segundo ele, mais estudos sobre o tema precisam ser realizados. "Têm estudos que apontam que a eficácia das vacinas que estão sendo aplicadas estão preservadas. No entanto, são necessárias mais pesquisas que possam confirmar essa constatação", disse.

No Espírito Santo, estão sendo utilizados os imunizantes Coronavac (Sinovac/Butantan) e Covishield, desenvolvido pela AstraZeneca/Oxford, produzidos no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Profissionais da saúde fazem parte do grupo que tem prioridade em receber as doses da vacina.

Leia também: Nésio Fernandes anuncia recorde de óbitos com 72 mortes nas últimas 24 horas

A Coronavac foi testada em Fase 3 pelo Instituto Butantan, vinculado ao governo do estado de São Paulo, que apontou eficácia geral de 50,38%. Ao mesmo tempo, o estudo mostrou que a vacina tem eficácia de 78% contra casos leves, que precisam de alguma assistência médica, e de 100% em quadros graves e moderados da doença, o que significa que ela evitou casos que requerem internação hospitalar.

Já a vacina desenvolvida pela AstraZeneca, se mostrou 79% eficaz em casos de doenças sintomáticas por meio de testes realizados no Peru, Chile e Estados Unidos. A Covishield também se mostrou 100% eficaz contra complicações graves ou críticas e hospitalizações e se mostrou segura.

Para Nésio Fernandes, a possibilidade de uma reinfecção para os já imunizados, mesmo que seja com sintomas leves, é um aviso. "Isso é um alerta para toda a população, que para interromper a cadeia de transmissão, ,medidas como o uso de máscaras, higiene das mãos e evitar locais aglomerados, são fundamentais  neste momento, mesmo com a vacinação", disse.

Leia também: "Jovens vão morrer em uma proporção não vista na pandemia", diz Nésio Fernandes

Ele ainda ressaltou que os cuidados também precisam continuar por parte daqueles que já receberam o imunizante. "Quem está vacinado ainda vive num ambiente de ampla circulação do vírus. Quando a maioria estiver vacinada, a circulação será menor. As pessoas que já estão imunizadas estão circulando numa sociedade com uma explosão de casos da covid-19. Por isso é importante que, mesmo quem já foi vacinado, preserve as medidas de distanciamento".

A reportagem do jornal online Folha Vitória procurou a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) para saber quantos profissionais foram reinfectados, mas ainda não obteve resposta. A reportagem será atualizada assim que houver um retorno. 

Últimas