Folha Vitória Profissionais de saúde alertam sobre o uso das telas pelas crianças

Profissionais de saúde alertam sobre o uso das telas pelas crianças

Um estudo realizado pelo Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina revelou que o uso de eletrônicos por crianças dobrou no período da pandemia

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Nestes tempos, as crianças já nascem rodeadas pela tecnologia, afinal, o brilho das telas é um atrativo para os pequenos. Entretanto, a utilização excessiva de dispositivos eletrônicos pode prejudicar o desenvolvimento. Foi o que mostrou um estudo realizado pelo Departamento de Psiquiatria da Escola Paulista de Medicina (EPM/Unifesp). 

A pesquisa, que abrangeu cerca de 900 crianças em idade pré-escolar, de 4 a 6 anos, concluiu que 55% fazem as refeições enquanto assistem televisão, e 28% levam bastante tempo com mídias de tela. 

Os pesquisadores descobriram que o hábito eleva o risco das crianças apresentarem habilidades motoras pobres, aumenta a inatividade física e diminui as horas de sono. 

Outro dado que chama a atenção é que antes da pandemia, o tempo médio de utilização dos eletrônicos era de 3 horas, agora, o período passou para 6 horas ou mais. No Espírito Santo, especialistas comentam que os pais devem estabelecer limites e acompanhar a rotina virtual dos filhos.

A psicóloga especialista em crianças e educadora parental, Talita Espíndula alerta que apesar de ser um entretenimento, existem outras formas de diversão. 

“Celulares e tablets são uma forma prática de entreter as crianças, mas é preciso que os pais compreendam que não é a opção mais saudável. As clássicas brincadeiras que envolvem atividade física, além de brinquedos analógicos que estimulam o pensamento e o lúdico, são os mais recomendados. Como o período em que vivemos requer isolamento, é fundamental mostrar às crianças que em casa pode haver diversão além das telas”, explica a psicóloga.

Recomendações da Sociedade Brasileira de Pediatria

De acordo com a pediatra Karoliny Veronese, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) realiza estudos que resultam em manuais de orientações com o objetivo de promover a saúde e bem-estar de crianças que estão em contato com a tecnologia. 

“Em 2020, a SBP atualizou o seu manual chamado #MenosTelas #MaisSaúde, para que os pais possam ter uma orientação de como lidar com o uso da tecnologia pelos filhos. As recomendações do órgão são de restringir o uso aos menores de 2 anos, limitar a uma hora por dia para crianças a partir de 2 a 5 anos e, uma a duas horas por dia para os entre 6 e 10 anos, sempre com supervisão”, alerta a pediatra.

Últimas