Folha Vitória Projeto prevê criação de auxílio emergencial de R$ 200 para famílias carentes em Colatina

Projeto prevê criação de auxílio emergencial de R$ 200 para famílias carentes em Colatina

De acordo com o projeto, os beneficiados irão receber três parcelas mensais de R$ 200

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A Prefeitura de Colatina vai enviar, nesta semana, um projeto de lei para a Câmara de Vereadores que cria um auxílio emergencial municipal para as famílias que estão em situação de extrema pobreza no município. 

De acordo com o projeto de lei, seriam três parcelas mensais de R$ 200 para cada família, totalizando R$ 600. Ao todo, cerca de R$ 1,2 milhão serão investidos na concessão do benefício. 

Os recursos virão do orçamento do próprio município e irão beneficiar até 2.000 famílias que se enquadrarem nos critérios estipulados pela Assistência Social. 

Os critérios obrigatórios são:

. que sejam residentes no município de Colatina;

. que estejam inseridas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, com dados atualizados há menos de dois anos;

. que apresentem soma de renda familiar mensal igual ou inferior a R$ 89 per capita;

. que tenham em sua composição crianças e adolescentes de 0 a 14 anos.

A Prefeitura informa que o processo de pagamento do valor para estas famílias será feito por meio de cartão magnético bancário, fornecido pelo Banestes S/A de forma gratuita.

Auxílio em Vitória

Na segunda-feira (22), o Conselho Municipal de Assistência Social de Vitória aprovou a proposta feita pela prefeitura da capital de pagamento do Auxílio Municipal Emergencial. 

Para receber o pagamento do auxílio é preciso ser morador do município, estar inscrito no CadÚnico, ter renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa (equivalente a R$ 550 reais) e ter recebido o auxílio emergencial no exercício 2020.

Pessoas que tiverem recebido o benefício do Governo Federal ou Estadual, estejam cumprindo pena em regime fechado ou sejam condenadas por crime contra a administração pública não têm direito.

Últimas