Folha Vitória Pronta desde setembro, maternidade pública da Serra ainda não realiza atendimentos

Pronta desde setembro, maternidade pública da Serra ainda não realiza atendimentos

O secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, afirmou que a previsão é de que as instalações sejam utilizadas como unidade de covid-19 ainda este mês

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Uma obra que custou R$ 100 milhões dos cofres públicos. A primeira maternidade pública da Serra está pronta desde setembro do ano passado, mas até o momento nenhum paciente recebeu atendimento nas instalações do hospital.

Uma construção imponente, porém, ineficaz. Correntes bloqueiam o acesso para o primeiro hospital materno infantil da Serra e quem passa na frente logo imagina o desperdício de dinheiro público. O topógrafo Geovane Cardoso é uma das pessoas que pensam no prejuízo e se preocupa com o fato de ter um hospital para pessoas que precisam na região.

Ao lado do sobrinho, Geovane afirma que é triste ter um hospital tão perto e com uma estrutura tão grande mas não poder utilizar. "Por exemplo, se precisar levar o menino vou ter que correr para vitória, sendo que tem um do lado da minha casa aqui", disse.

As instalações já estão prontas desde o mês de setembro de 2020. Assim que a prefeitura concluiu as obras, o hospital foi entregue ao Governo do Estado, o qual vai contratar uma equipe para administrar o local. Ao todo são cinco meses de hospital pronto, mas a maior pergunta que tem sido feita é sobre quando a população poderá ser atendida no hospital.

Questão sem resposta

Ainda não é possível precisar uma data específica para a inauguração da maternidade, mas algumas informações precisam ser de conhecimento do povo: Ao todo, a obra já equipada custou R$ 100 milhões e de acordo com a Prefeitura da Serra a instalação possui capacidade de atender nove mil gestantes por ano e realizar 800 partos por mês além de contar com 176 leitos prontos.

Apesar da obra ter sido realizada pela Prefeitura da Serra, a administração do hospital fica por conta do Estado. Em novembro do ano passado, durante uma transmissão ao vivo na TV Vitória, o ex-prefeito do município, Audifax Barcelos, reafirmou que as obras já estão prontas e entregues.

"A entrega da obra do hospital materno infantil, tinha o compromisso com o secretário de estado, ele assumiu esse compromisso comigo no dia oito de setembro, no dia do aniversário de Vitória, onde ele chegou para mim e disse que o hospital abriria pelo menos 10% antes das eleições e até o dia 30 de dezembro o hospital abriria 50% e até hoje não fez", afirmou o 

O secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes respondeu ao prefeito e afirmou que as instalações do hospital materno infantil devem ser utilizadas como unidade de covid-19 a partir da segunda quinzena de janeiro.

"O prefeito Audifax conseguiu concluir a obra, ele iniciou toda a tramitação administrativa de transição do hospital materno infantil para a gestão pública estadual, nós estamos concluindo esse procedimento administrativo e a unidade, por conta do novo crescimento da faixa de aceleração dos casos de covid deverá ao longo do mês de janeiro ser aberta e utilizada como unidade de covid com aproximadamente 20 leitos de UTI e até 130 leitos de enfermaria para atender esses pacientes", apontou o secretário.

Ainda de acordo com Nésio, o governo já iniciou o procedimento administrativo com a organização social responsável pela administração da unidade hospitalar. No meio do vai e vem de informações e declarações está a população que anseia por um hospital pronto e em funcionamento.

* Com informações do repórter Michel Bermudes, da TV Vitória/Record TV.

Últimas