Folha Vitória Propagadores usam pesquisa eleitoral da Rede Vitória/Futura para espalharem 'fake news'

Propagadores usam pesquisa eleitoral da Rede Vitória/Futura para espalharem 'fake news'

Em um aplicativo de mensagens, o índice de rejeição dos candidatos a prefeito de Vitória foi divulgado como se fosse a intenção de voto. Outra postagem inventa uma pesquisa para vereador em Linhares, nunca realizada

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A era digital trouxe uma série de benefícios para a população, mas também tem seus desafios. Ao mesmo tempo que melhorou a comunicação entre as pessoas, a internet também permitiu que a desinformação circule disfarçada de notícia. E em um período eleitoral, como estamos vivendo, isso fica ainda mais acentuado. Por isso, é importante ficar atento para não ser vítima das chamadas "fake news", que confundem, distorcem e inventam fatos.

Nos últimos dias, a série de pesquisas das eleições municipais encomendada pela Rede Vitória à Futura também virou alvo de quem propaga notícias falsas. Em um aplicativo de mensagens, o índice de rejeição dos candidatos a prefeito de Vitória foi divulgado como se fosse a intenção de voto. 

Outra postagem vai ainda mais longe e inventa uma pesquisa para vereador em Linhares, no norte do estado. A parceria da Rede Vitória com a Futura não inclui nenhuma pesquisa para o cargo de vereador.

O coordenador do Núcleo de Combate à Corrupção Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Espírito Santo, Vinícius Quintino, orienta o eleitor a identificar conteúdos falsos.

"Os agentes que usam desse tipo de subterfúgio geralmente seguem um comportamento similar: geralmente o endereço de onde parte essa desinformação é completamente desconhecido; geralmente se exagera em caixas altas, explora uma imagem muito chamativa; geralmente cita-se 'segundo pesquisas' de institutos que não se conhecem muito bem. Então é uma série de elementos que estão cada vez mais aprimorados e por isso que a desinformação é perigosa. Esses elementos são utilizados para convencer o eleitor e o cidadão de que aquela notícia é verdadeira", ressaltou Quintino.

O coordenador do Núcleo de Combate à Corrupção Eleitoral do TRE também orienta que, na dúvida, o eleitor não deve compartilhar o conteúdo. E, em caso de ter certeza de que se trata de fake news, deve denunciar às autoridades. 

Sobre as notícias falsas divulgadas recentemente, a Rede Vitória está monitorando a situação de perto. "A gente tem notado, de fato, pessoas se utilizando dos resultados das pesquisas para fazer uma interpretação dúbia ou equivocada, e até levando o próprio eleitor a conclusões equivocadas a respeito do resultado da pesquisa feita pela Rede Vitória em parceria com a Futura. A Rede Vitória nunca fez pesquisa, pelo Futura, para candidato a vereador no município de Linhares", destacou o advogado da Rede Vitória, Caio Perenzin.

Com informações do repórter Alex Pandini, da TV Vitória/Record TV

Últimas