Folha Vitória Quase 48 mil gestantes e puérperas vão ser vacinadas a partir de maio no ES

Quase 48 mil gestantes e puérperas vão ser vacinadas a partir de maio no ES

O novo grupo deverá ser incluído na próxima fase da Campanha Nacional de Vacinação, junto à população com comorbidades

Folha Vitória
Foto: Unplash
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Nesta terça-feira (27), o Ministério da Saúde decidiu incluir as grávidas e puérperas (mulheres no período pós-parto) no grupo prioritário para receber a vacina contra a covid-19. O novo grupo deverá ser incluído na próxima fase da Campanha Nacional de Vacinação, junto à população com comorbidades.

De acordo com a estimativa populacional do Ministério da Saúde, 47.966 gestantes e puérperas serão vacinadas no Espírito Santo. A estratégia definida pelo Ministério é de vacinar primeiro as gestantes e puérperas com comorbidades, independentemente da idade; e posteriormente demais gestantes e puérperas, independentemente de condições pré-existentes. 

>>Leia também: Covid-19: mortes de grávidas e puérperas dobram em 2021

>>Leia também: Jovem grávida morre vítima da covid-19 após dar à luz; bebê sobreviveu

A definição dos novos grupos e feita com base em evidências científicas e dados epidemiológicos que mostram gestantes e puérperas como fatores de risco, já que houve aumento no número de óbitos materno no Brasil.

De acordo com a coordenadora do Programa Estadual de Imunizações e Vigilância das Doenças Imunopreveníveis, Danielle Grillo, a inclusão do novo grupo foi feita porque há mais benefícios do que riscos na imunização contra a covid-19. 

“Entende-se que os benefícios da imunização a gestantes e puérperas são superiores ao risco. Diante disso, em pactuação tripartite, entre União, estados e municípios, foi definido a inclusão destes dois novos grupos à Campanha”, informou Danielle.

Vacinação em maio

Segundo o Ministério, a previsão é que todo o grupo, que agora incluiu pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas, seja vacinado com a primeira dose até o final do mês de maio.

No Espírito Santo, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) vai definir junto aos municípios a estratégia que será utilizada para imunizar o grupo prioritário. Danielle explicou como funcionará a distribuição das doses no Estado. “Sempre ressaltamos que a Secretaria da Saúde aguarda o envio de doses por parte do Ministério para dar continuidade à vacinação, e que o início de cada grupo prioritário se dá com a entrega de 100% das doses referentes aquele grupo, aos municípios”, disse a coordenadora.

Vacinação contra Influenza

As gestantes e puérperas já fazem parte do grupo prioritário da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, e podem ser imunizadas até o dia 10 de maio. Com duas campanhas de imunização em andamento, a Sesa alerta que deverá ser respeitado o intervalo mínimo de 14 dias entre a administração das vacinas Influenza e Covid-19.

Danielle Grillo destacou a importância da adesão do grupo à vacinação das duas campanhas. “Precisamos contar com a participação de todas as grávidas e puérperas para termos altas e homogêneas coberturas vacinais, tanto para Influenza, que nos últimos anos são públicos nos quais não conseguimos alcançar uma cobertura de 90%, quanto agora para a Covid-19”. 

Orientações às gestantes e puérperas

Segundo o Ministério da Saúde, a vacinação de gestantes e puérperas deverá seguir as seguintes orientações:

- A gestante com comorbidade deverá comprovar a condição de risco, seja com exames, receitas, relatório médico, prescrição médica, ou cadastros já existentes dentro das Unidades de Saúde;

- A vacinação poderá ocorrer independentemente da idade gestacional e o teste de gravidez não deve ser um pré-requisito para a administração das vacinas;

- No caso de a puérpera, ao ser vacinada, na condição de lactante, deverá ser orientada a não interromper o aleitamento materno;

- A vacinação poderá ser realizada com qualquer vacina de plataforma de vírus inativado, vetor viral ou mRNA, respeitando os intervalos entre as doses recomendadas pelo Programa Nacional de Imunização.

Últimas