Folha Vitória Queima de fogos e festividades em praias são canceladas nas principais cidades do ES

Queima de fogos e festividades em praias são canceladas nas principais cidades do ES

A preocupação dos municípios e do Governo do Estado é com a aglomeração e com o avanço dos casos de coronavírus em todo o Espírito Santo

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A contagem regressiva para a chegada de 2021 já começou. Faltando apenas dois dias para as tradicionais festas de Réveillon, será preciso buscar alternativas mais restritivas e silenciodas. Isso porque as prefeituras da Grande Vitória e de outras cidades capixabas mais procuradas para as festividades da virada de ano, anunciaram que não haverá queima de fogos como ocorre anualmente. A preocupação dos municípios e do Governo do Estado é com a aglomeração e com o avanço dos casos de coronavírus em todo o Espírito Santo.

A decisão da maioria das cidades ocorreu no início de dezembro, após a fala incisiva do subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, em coletiva realizada no final de novembro. Na ocasião, ele afirmou que as festas de Réveillon no litoral capixaba não poderiam acontecer, por conta da pandemia.

"Nós já temos uma portaria, temos instrumento jurídico, recomendando a não realização de atividades de passagem de ano em praias, com fogos de artifício, com aglomeração e instalação de tendas. Não haverá festa de fim de ano em praias. Não haverá eventos. Não são permitidos shows em praça pública, shows em boates e em ambientes fechados", afirmou Reblin, em 30 de novembro.

Cidades sem fogos

Em Vitória, a prefeitura informou que está focada no desenvolvimento de ações de combate à pandemia e no retorno gradual da rotina da cidade. Segundo o município, as festividades no litoral e a tradicional queima de fogos estão suspensas.

Na Serra, onde geralmente acontece queima de fogos nas praias de Jacaraípe, Nova Almeida, Manguinhos e em outros pontos da cidade, a prefeitura informou que, por recomendação do Ministério Público do Espírito Santo, e orientação do governo do Estado, suspendeu todas as festividades de final de ano previstas no calendário cultural, para evitar aglomerações que ofereçam risco à saúde coletiva.

Já em Vila Velha, o município com o maior números de casos de Covid-19 no estado, a prefeitura informou que, no momento, está concentrada na prevenção e combate ao novo coronavírus. Por nota, a prefeitura disse que a gestão está monitorando o andamento da pandemia e irá acatar as decisões das autoridades de Saúde. Desta forma, cancelando a programação para queima de fogos.

Na cidade de Anchieta, balneário que recebe muitos turistas nesta época do ano, a prefeitura informou ao Folha Vitória que, até o momento, foi decidido em não haver queima de fogos e shows no réveillon.

No interior, outro município também decidiu acatar a orientação do Governo do Estado. Por meio de nota, a Prefeitura de Presidente Kennedy informou que "as programações esportivas, de shows e queima de fogos no Verão 2021 foram canceladas devido a pandemia do novo Coronavírus. 

Em Aracruz, município que recebe centenas de pessoas nas praias da Barra do Sahy e em toda região, a prefeitura também manifestou sua preocupação com a pandemia, aglomeração e promete acatar a orientação do Governo Estadual. Em nota ao Folha Vitória, o município explicou que diante da Portaria expedida pela Secretaria de Estado da Saúde, que recomenda a não realização de atividades de passagem de ano em praias, com fogos de artifício e com aglomeração, não realizará nenhuma atividade na orla do município.

Guarapari, que na virada de ano de 2019 para 2020 recebeu 600 mil pessoas, também decidiu cancelar as tradicionais queimas de fogos. O município, que atualmente está classificado como risco alto para o novo coronavírus, disse ainda que ações serão feitas para evitar aglomerações na cidade. 

Conceição da Barra, no extremo norte, também expediu um decreto cancelando as comemorações de Réveillon no município. A cidade é um ponto bem procurado em sua sede e em Itaúnas.

Últimas