Folha Vitória Recorde na fila: 110 pacientes com covid-19 esperam por leitos de UTI no Espírito Santo

Recorde na fila: 110 pacientes com covid-19 esperam por leitos de UTI no Espírito Santo

A informação é do subsecretário de Saúde do Estado, Luiz Carlos Reblin; a taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para a doença segue acima dos 90% nesta quinta-feira (08)

Folha Vitória
Foto: Diego Simão/TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivos para covi-19 segue acima dos 90% no Estado e, nesta quinta-feira (08), o número de pacientes à espera dos leitos bateu novo recorde. Em entrevista concedida à Rádio Pan News Vitória, o subsecretário de Estado de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, informou que, nesta manhã, 110 pacientes com coronavírus aguardavam por uma vaga de UTI em hospitais da rede pública de saúde.

"No estado, 110 pessoas estão esperando leitos de UTI. Mas a taxa de ocupação dos leitos ainda não chegou a 100%, porque os pacientes que estão aguardando uma vaga de internação vão ocupando os leitos durante o dia", disse Reblin.

O subsecretário explicou como funciona a regulação e a ocupação das vagas nos hospitais. "Parte dos leitos vagos são reservados para o Samu, os outros estão separados para pacientes que serão transferidos pela regulação de leitos. Por isso, fica esse entendimento de que temos vagas, já que os pacientes que estão na fila ainda vão entrar", disse.

Apesar do número de pessoas aguardando por leitos no Estado, Reblin disse que são realizadas entre 400 e 500 altas hospitalares diariamente. Ele também falou que, além das altas, há também a desocupação por causa das mortes: a média dos últimos 14 dias é de 56 mortes.

De acordo com a Secretaria de Saúde, vários fatores contribuíram para o aumento da pressão hospitalar no Estado, um deles é a circulação da variante inglesa, que além de ser mais transmissível, também causa maior agravamento da covi-19. A outra causa, de acordo com o subsecretário, é a demora na procura por serviços médicos. 

"A variante Inglesa e o agravamento que ela causa, junto com a naturalização do sintoma, quando a pessoa adoece de maneira mais importante, já chega ao serviço de saúde muito grave", completou.

Matriz de Risco

Reblin também falou sobre a projeção da pandemia e disse que pelas análises feitas, o mês de abril ainda será de restrições no Espírito Santo. 

"Acumulamos um número de pessoas contaminados muito grande e, antes dos sintomas graves aparecerem, leva alguns dias. Será um mês de muitas internações e alto índice de mortes", prevê. 

Por causa do número elevado de novos casos da doença, internações e óbitos, o Estado seguirá com a maioria dos municípios classificados em risco alto ou extremo durante o mês. 

De acordo com Reblin, o governador Renato Casagrande anunciará nesta sexta-feira (09) se o transporte coletivo voltará a circular ou não. Além disso, o governo atualizará as medidas que devem ser seguidas na próxima semana. 

"Todas essas análises estão em andamento. Além da análise geral com as informações concretas e os números, as possibilidades para próxima semana serão anunciadas pelo governador do estado", finalizou.

Últimas