Folha Vitória Relacionamento conturbado: família diz que tentou alertar adolescente assassinada sobre namorado

Relacionamento conturbado: família diz que tentou alertar adolescente assassinada sobre namorado

O jovem de 19 anos confessou que matou a namorada com crueldade na noite da última quarta-feira, no bairro São Pedro; o irmão da menina contou que ela colecionava boletins de ocorrência contra o acusado

Folha Vitória
Foto: Reprodução
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A jovem assassinada em Vitória, na noite da última quarta-feira (09), colecionava histórias tristes e violentas com o principal suspeito de ter tirado sua vida, o namorado David Coutinho, de 19 anos.

De acordo com a família da vítima, Karoline de Souza Silva,  de 17 anos, registrou diversos boletins de ocorrência durante o tempo em que o casal namorava, a maioria por agressões. Até uma medida protetiva contra o rapaz foi expedida pela Justiça. 

Em agosto de 2018, ele foi apreendido por ato infracional análogo aos crimes de ameaça e lesão corporal praticado contra a adolescente, isso porque, na época dos fatos, ele era menor de idade. Ele ficou internado no Centro Integrado de Atendimento Socioeducativo (Ciase), do Iases. Em abril deste ano, progrediu para liberdade assistida. A medida protetiva que a vítima tinha contra o suspeito, hoje maior de idade, foi arquivada em maio deste ano, por decisão da Justiça. 

Os jovens se conheceram há quase quatro anos, quando a jovem tinha apenas 13 anos de idade. Segundo a família, Karol era muito querida por todos. Estudava, trabalhava como menor aprendiz e desde a morte da mãe e passou a viver com a irmã mais velha.

Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

A adolescente estava com as aulas e o trabalho suspensos, por conta da pandemia. Para não ficar com o tempo ocioso, ela decidiu passar algumas semanas no Norte do Estado, onde a família tem parentes.

O irmão de Karol contou para a reportagem da Rede Vitória que todos achavam que ela não tinha mais contato com o rapaz. Mas voltando do interior, ao invés de Karoline ir para casa, ela foi atraída para um encontro com o suspeito, e acabou assassinada.

Segundo a família, o primeiro amor de Karol foi Gustavo. Eles se conheceram e já começaram a namorar. Ele sempre foi ciumento e, de acordo com os parentes da vítima, já tentou matar a menina várias vezes. Numa ocasião, ele chegou a perfurar o peito da jovem. Apaixonada, a garota defendia o namorado, e como muitos adolescentes, acabou não ouvindo os conselhos da família, para separar do rapaz.

O crime

Na noite da última quarta-feira, os dois jovens estavam bebendo, sentados na frente de uma casa em obras no bairro São Pedro, na capital. Segundo testemunhas, depois que eles entraram, fecharam o portão e começaram a brigar. Lá dentro, a jovem foi agredida e depois assassinada. 

Vizinhos perceberam a movimentação e viram que o rapaz tentou fugir pelos fundos da casa. Ele saiu correndo pela rua, mas acabou sendo detido por populares que o seguraram até a chegada da polícia. Para os PMs, ele confessou que havia matado a adolescente com crueldade, utilizando uma serra de aço e uma espátula, material usando por pedreiros na construção civil.

Leia também: Adolescente é assassinada e namorado confessa que usou uma serra para cometer o crime

* Com informações das repórteres Marla Bermudes e Rafaela Freitas, da TV Vitória / Record TV

Últimas