Folha Vitória Rodoviários de duas empresas mantém paralisação de ônibus; uma delas faz parte do Sistema Transcol

Rodoviários de duas empresas mantém paralisação de ônibus; uma delas faz parte do Sistema Transcol

Catagoria reivindica pagamentos dos salários e dos benefícios que, segundo eles, estão atrasados há dois meses

Folha Vitória
Foto: Rede Social Sindirodoviários
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Motoristas e cobradores das empresas Metropolitana e Tabuazeiro, responsáveis por linhas do Transcol e do sistema municipal de Vitória, respectivamente, continuam de braços cruzados na tarde desta quarta-feira (28). A categoria reivindica os pagamentos dos salários e dos benefícios que, segundo eles, estão atrasados há dois meses. 

Leia mais: Rodoviários protestam contra atraso em pagamentos e fecham duas garagens na Grande Vitória

Eles também afirmam que não estão conseguindo utilizar o plano de saúde, porque o pagamento não estaria sendo feito pela empresa.

O Sindicato das Empresas de Transporte Metropolitano da Grande Vitória informou que a situação na empresa Metropolitana é pontual. De acordo com o GVbus, o atendimento aos passageiros segue normal, uma vez que as outras empresas do Sistema Transcol estão suprindo as demandas. 

A Secretaria Municipal de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória (Setran) informou que a Viação Tabuazeiro foi notificada.

"A administração do município está aberta ao diálogo e se dispõe a intermediar as negociações para que empresa, seus trabalhadores e o Ministério Público entrem em acordo, a fim de evitar prejuízos população. O Sistema Municipal de Transporte é operado pelas empresas Unimar, Grande Vitória e Tabuazeiro", escreveu. 

A Viação Tabuazeiro opera 20 linhas, tem uma frota de 36 ônibus e faz 267 viagens por dia. As três empresas juntas possuem 182 veículos.

Empresa de transporte público em Guarapari é notificada

Em Guarapari, nesta terça e na última quinta-feira, os funcionários da Expresso Lorenzutti, única responsável pelo transporte municipal, paralisaram as atividades e fizeram um protesto em frente à garagem.

Leia também: Paralisação: Rodoviários de Guarapari protestam e deixam população sem ônibus

O motivo da manifestação, segundo eles, é que a empresa não está realizando o pagamento em dia. O Sindicato dos Rodoviários de Guarapari (Sintrovig-ES) afirma que o último pagamento foi feito no dia 10 abril (sábado), mas apenas 46% do valor foi recebido. Além disso, era previsto para o último dia 20 o pagamento do ticket alimentação, que também não foi efetuado.

Em virtude dos protestos, a empresa cumpre liminar que garante a circulação de 80% da frota nos horários de maior demanda, entre 5h30 e 9h da manhã e das 17h às 20h. Nos demais horários 70% da frota programada. 

“Em caso de eventual descumprimento dessa decisão, fixo a multa de R$ 30.000,00 por dia de descumprimento (cuja destinação será analisada ao longo dos trâmites processuais)", diz parte do documento. 

Uma reunião está programada para esta quarta (28), mas o horário ainda não foi divulgado. 

Últimas