Folha Vitória Saiba como identificar e prevenir o câncer de cabeça e pescoço

Saiba como identificar e prevenir o câncer de cabeça e pescoço

Adotar ações preventivas e ficar atento aos sintomas de um possível câncer são fundamentais para reduzir as chances de ter a doença e, caso ela apareça, ter maiores chances de cura.

Folha Vitória
Foto: Divulgação / Pexel
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Dia 27 de julho é a data dedicada à prevenção e à detecção precoce do câncer de cabeça e pescoço. A estimativa divulgada pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) para o Brasil é de que, até o final de 2021, surjam 36.620 novos casos da doença, sendo 19.480 em homens e 17.140 em mulheres.

São números preocupantes, mas segundo o médico Evandro Duccini, cirurgião e chefe do Serviço de Cirurgia de Cabeça e Pescoço do Hospital Santa Rita, "se o câncer na região da cabeça e pescoço for diagnosticado precocemente, muitas vezes é possível fazer uma cirurgia de pequeno porte, com chances de cura de até 80% sem necessidade de sessões de quimioterapia". 

Evandro alerta para a importância de procurar atendimento médico ao perceber sintomas e desconfortos na região do pescoço, boca ou face. 

Veja os principais sintomas da doença:

- Aparecimento de nódulo no pescoço; 

- Manchas brancas ou avermelhadas na boca; 

- Feridas que não cicatrizam em duas semanas;

- Dor de garganta que não melhora em 15 dias;

- Dificuldade ou dor para engolir;

- Alterações na voz;

- Rouquidão por mais de 15 dias.

O especialista afirmou que, somente no Hospital Santa Rita, durante o ano de 2020 foram registrados 366 casos de câncer na região da cabeça e pescoço, sendo o câncer de boca o mais frequente (132), seguido pelo câncer de garganta (107).

Medo da Covid-19 dificulta diagnóstico de câncer de cabeça e pescoço

De acordo com o médico cirurgião Evandro Duccini, o medo da Covid-19 tem levado muitas pessoas a não procurarem atendimento médico, principalmente em unidades hospitalares, e isso tem dificultado o tratamento. 

“Vários pacientes estão chegando ao consultório com doenças em estágios mais avançados e que poderiam ser tratadas mais rapidamente se tivessem procurado atendimento ao perceberam os primeiros sintomas”, alerta o médico.

É importante, segundo Duccini, que cada pessoa fique atenta aos sinais do seu corpo e procure uma unidade de atendimento médico sempre que perceber alterações que sugerem uma possível doença.

“Se já tem um médico que o acompanha, marque uma consulta. Vá de máscara, leve um frasquinho de álcool em gel para desinfetar as mãos, procure chegar próximo do seu horário de consulta e evite proximidade com outros pacientes. Adote todos os cuidados necessários, inclusive o de ir ao médico quando precisar”, alerta Duccini.

Veja dicas para prevenir a doença:

- Não fumar

- Evitar o consumo de bebidas alcoólicas

- Ter alimentação rica em frutas, verduras e legumes

- Manter boa higiene bucal

- Usar preservativo (camisinha) na prática do sexo oral

- Manter o peso corporal adequado

- Vacinar contra HPV (vírus do papiloma humano) os meninos de 11 a 14 anos e as meninas de 9 a 14 anos de idade

Últimas