Folha Vitória Saiba quais são as nove bactérias mais resistentes do mundo

Saiba quais são as nove bactérias mais resistentes do mundo

De acordo com a OMS, as doenças causadas por elas matam aproximadamente 700 mil pessoas todos os anos

Folha Vitória
Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

As bactérias são microrganismos vivos, muito pequenos, mas que podem causar grandes estragos - e inclusive serem letais. Todos os dias, nosso corpo precisa lidar com muitos milhões desses minúsculos seres. Vários deles encontram morada no nosso corpo - mais precisamente, são 10 milhões de bactérias por centímetro quadrado da nossa pele.

Mas o que difere essas milhões e milhões de bactérias “cotidianas” das suas similares mais perigosas? As chamadas superbactérias são resistentes aos antibióticos mais potentes que existem, sendo de difícil tratamento. As doenças causadas por elas matam aproximadamente 700 mil pessoas todos os anos, segundo dados da OMS.

Entre elas, estão bactérias encontradas no dia a dia, como a salmonella e a família Enterobacteriaceae, que podem causar infecções alimentares muito graves. A prevenção é simples: lavar muito bem as mãos antes de preparar, servir ou tocar os alimentos, após o uso do banheiro, após manipular alimentos crus e após o contato com animais.

Conheça as 9 bactérias mais resistentes do mundo segundo a Organização Mundial da Saúde:

Acinetobacter baumannii: causa infecções em pessoas já debilitadas. É a maior responsável por infecções hospitalares em todo o mundo.

Pseudomonas aeruginosa: comum em pacientes internados por queimaduras graves corporais, causa infecções nos rins e pulmões.

Enterobacteriaceae: família de bactérias que inclui a Klebsiella pneumonia ou a Escherichia coli.

Enterococcus faecium: pode habitar o intestino humano e ser inofensiva. Porém, também é a causadora de meningite em bebês recém-nascidos.

Staphylococcus aureus: também muito comum no corpo humano, pode causar diversos problemas, como abcessos, intoxicação alimentar e sinusite.

Helicobacter pylori: em aproximadamente 85% das pessoas infectadas por ela, não há nenhuma consequência. No entanto, nas demais, ela pode causar úlcera duodenal, câncer no estômago e gastrite.

Salmonella spp: causadora de intoxicação alimentar e febre tifóide, pode estar presente na clara de ovo crua.

Neisseria gonorrhoeae: responsável por uma das DSTs mais antigas da humanidade, a gonorreia.

Campylobacter: em humanos, pode causar infecções oportunistas sérias.

Contudo, o uso de produtos antibacterianos é indicado na rotina diária. Produtos antimofo podem e devem ser utilizados para combater o fungo presente em ambientes, o que ajuda a tornar o local muito menos propício também para o desenvolvimento de bactérias. 

Um exemplo é o Microbac da empresa brasileira Aya Tech, que é um bactericida e fungicida eficaz para todos os momentos de limpeza e proteção da casa, inclusive para higienizar as máscaras que usamos no dia a dia.

Últimas