Saiba quais são os principais causadores da afta e como evita-las

Alimentação, traumas e uso de aparelhos ortodônticos são responsáveis pelo surgimento das feridas na boca

Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória
As aftas são manchas vermelhas na boca, arredondadas e cobertas por uma membrana esbranquiçada. 

A maioria das pessoas tem ou já teve afta bucal em algum momento da vida. Elas são consideradas um dos problemas bucais que mais afetam a população mundial. Mas, o que são aftas? 

São aquelas manchas vermelhas que evoluem para uma feridas arredondadas recobertas por uma membrana esbranquiçada. As aftas podem aparecer em qualquer idade, apesar de serem mais comuns em mulheres e na fase da pré-adolescência por conta das alterações hormonais.

O periodontista Thiago Degli Esposti acrescenta que pessoas que têm diabetes e que não controlam a doença têm a saliva excessivamente adocicada, o que propicia um ambiente favorável ao surgimento de fungos e, por consequência, da afta. “Pacientes em tratamento de câncer e portadores do vírus HIV, com baixa imunidade, também tendem a desenvolver o problema”, explicou. 

O especialista pontua ainda que fatores emocionais como o estresse, a alergias a alimentos, o tabaco e a deficiência de ferro, vitamina B12 e ácido fólico também podem desencadear esse quadro que tende a durar de sete a 14 dias, quando ocorre a cicatrização.

Segundo o especialista, existem três tipos de aftas: a alérgica, que surge por conta do uso de algum alimento ou medicamento; aquela que é reflexo de doenças sistêmicas no organismo; e a traumática, consequência do uso de aparelhos ortodônticos, da escovação inadequada ou por trauma na hora da mastigação. 

“Muitas aftas são doloridas e causam grande incômodo. Como elas se desenvolvem na boca, um ambiente muito delicado, seu rompimento ocasiona desconforto e o quadro piora ainda mais quando há ingestão de alimentos com excesso de acidez, muito quentes ou picantes. Há situações em que podem provocar febres e inflamação dos gânglios do pescoço”, descreveu o profissional.

Thiago enfatiza que quanto mais higienizada estiver a boca, menor será o incômodo. “A higienização pode ser feita com o uso de antissépticos bucais ou com leite de magnésio. Nesse período, tentar controlar o estresse e fazer uso de vitaminas que ajudem a melhorar a imunidade também aceleram o processo de cicatrização e aliviam as dores. Pomadas à base de corticoides e tratamento a laser auxiliam na contenção do problema" explicou o especialista. 

Sobre o uso do laser ele explica que a laserterapia é capaz de diminuir a dor, acelerar a cicatrização e, até mesmo, diminuir a frequência das lesões. “O procedimento é totalmente indolor e consiste na emissão de luz diretamente na mucosa feita por um aparelho e o tempo do tratamento varia de acordo com cada paciente. “Como as aftas são de causa multifatorial, o especialista deve reconhecer o motivo iniciador em cada caso e recomendar o protocolo com doses e frequências individualizadas”, esclarece. Outro detalhe é o que não há contraindicações e a técnica pode ser feita até mesmo em gestantes.