Saúde apresenta novos números e faz balanço de ações contra pandemia

Insumos, leitos e medicação foram os assuntos mais pautados pelo Ministério da Saúde

Foto: Divulgação
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O Ministério da Saúde fez hoje um balanço das medidas adotadas até o momento para enfrentamento à pandemia. Representantes da pasta falaram sobre envio de insumos, habilitação de leitos, encaminhamento de medicamentos e destinação de recursos.

Até o momento, foram disponibilizados a estados e municípios 10.328 ventiladores pulmonares. O estado mais atendido foi o Rio de Janeiro, com 1,06 milhão. Também foram destinados 241 milhões de unidades de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) às autoridades locais de saúde. O estado mais contemplado foi São Paulo, com 39,6 milhões de unidades de EPI.

Segundo o órgão, foram habilitados 12.005 leitos de UTI (unidade de terapia intensiva) exclusivos para tratamento da covid-19. Isso equivale a R$ 1,7 bilhão de reais. O estado mais beneficiado foi São Paulo, com 2.731 estruturas deste tipo.

O MS credenciou a implantação de 1.308 centros de atendimento para o enfrentamento da covid-19. O projeto foi criado pela pasta para que municípios possam montar espaços voltados ao atendimento de casos mais leves, fazendo a triagem e encaminhando para unidades de saúde quando necessário.

O órgão credenciou também 360 centros comunitários. “São aqueles colocados em comunidades e nas favelas para atender à população na atenção primária”, lembrou o secretário executivo da pasta, Élcio Franco.

Recursos

O volume de recursos repassados a estados e municípios até o momento totalizou R$ 19,9 bilhões. O montante representa 47% dos R$ 41,7 bilhões em créditos extras do governo federal para ações voltadas à prevenção e combate à pandemia.

De acordo com o secretário executivo, o valor restante da linha de créditos extras ainda não foi executado por falta de projetos municipais.

Da soma encaminhada, R$ 13,3 bilhões foram destinados a municípios e R$ 5,8 bilhões, a estados. A equipe do MS voltou a divulgar o volume de recursos constantes nas contas dos fundos desses entes da Federação, R$ 25,2 bilhões, como forma de mostrar que também há verba não executada pelas autoridades locais de saúde.

Medicamentos

O Ministério da Saúde repassou 5,3 milhões de unidades de hidroxicloroquina. A pasta encaminhou também 14,7 milhões de unidades de fosfato de oseltamivir, conhecido comercialmente como Tamiflu.

Sobre os medicamentos para entubação: que enfrentam desabastecimento e são de grande demanda estadual - foram obtidos quatro milhões de unidades de remédios diversos por meio de requisição administrativa entre 26 de junho e 19 de agosto. Na distribuição regional, foram 1,44 milhão de doses para a Região Sudeste, 1,2 milhão para a Nordeste, 526 mil para a Norte, 439 mil para a Centro-Oeste e 362 mil para a Sul.

O pregão eletrônico anunciado pela pasta está em andamento. Dois dos nove itens licitados atingiram 100%. “Estamos na elaboração de um segundo pregão para aqueles que não atingiram a demanda informada pelo Conass [Conselho Nacional dos Secretários de Saúde]”, disse o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Hélio Angotti Neto.

FONTE: Agência Brasil