Folha Vitória Secretaria da Fazenda identifica 40 empresas de fachada prestes a atuar no ES

Secretaria da Fazenda identifica 40 empresas de fachada prestes a atuar no ES

Segundo a Sefaz, as empresas tiveram a emissão de documentos fiscais bloqueada e são de diversos setores. A maioria tem sede em Vila Velha e em Guarapari

Folha Vitória
Foto: Divulgação/ Sefaz
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

Empresas de fachada que iriam começar a atuar no Espírito Santo foram identificadas durante uma ação preventiva de auditores fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda. Ao todo, foram identificadas 40 empresas de diversos setores. A maioria delas com sede em Vila Velha e Guarapari.

Segundo a Sefaz, os setores predominantes eram de bebidas, sucata e coágulo de borracha. Todas as empresas tiveram a emissão de documentos fiscais bloqueada e podem ter as inscrições estaduais canceladas.

Além de Vila Velha e Guarapari, foram identificadas empresas em Vitória, Cariacica, Cachoeiro de Itapemirim, Aracruz e outros municípios capixabas.  

O auditor fiscal Luiz Carlos Barros Filho explicou que a identificação das empresas foi possível por meio de um sistema de cruzamento de dados elaborado pelos auditores fiscais. 

"Quando uma empresa laranja vai começar a operar, ela mostra uma série de indícios. Geralmente, elas são de setores específicos, têm endereços suspeitos, contabilistas já identificados, entre outros pontos", disse.

Empresas foram descobertas antes mesmo que fraudes acontecessem

A atuação preventiva dos auditores da Receita Estadual permitiu que as empresas fossem reconhecidas antes mesmo da ocorrência de fraudes. De acordo com o auditor fiscal e subgerente fiscal de Setores Econômicos, Lucas Calvi, os contabilistas envolvidos com as empresas serão responsabilizados. 

"Eles podem perder a licença para exercer a profissão e responder criminalmente pela atuação. Tanto o Conselho Regional de Contabilidade quanto o Ministério Público Estadual estão sendo notificados sobre os envolvidos no caso", explicou. 

Antes de terem as inscrições estaduais canceladas, os representantes das empresas serão intimados e podem recorrer da decisão. No entanto, de acordo com a secretaria, a maioria não atende à intimação, o que confirma os indícios de serem sócios laranjas.

Notas fiscais falsas e altos valores movimentados

A Sefaz destacou que uma empresa laranja movimenta altos valores e emite notas fiscais falsas, simulando operações de circulação de mercadorias. Com isso, o imposto deixa de ser pago aos cofres públicos, lesando toda a população capixaba.

Últimas