Folha Vitória Secretário de Segurança sobre tiroteio na Serra: "Não toleraremos situações como essa"

Secretário de Segurança sobre tiroteio na Serra: "Não toleraremos situações como essa"

Alexandre Ramalho justificou que não houve acionamento da Polícia Militar durante o tiroteio na madrugada desta terça (02) em Planalto Serrano

Folha Vitória
Foto: Reprodução TV Vitória
Folha Vitória

Folha Vitória

Folha Vitória

O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Ramalho, disse que a polícia continuará "trabalhando para cima dos criminosos"  e que "não  toleraremos esse tipo de situação". A declaração aconteceu após o tiroteio na madrugada desta terça-feira (2) no bairro Planalto Serrano, na Serra. 

O episódio causou medo e transtorno para os moradores da região, já que até os ônibus do Transcol deixaram de entrar no bairro pela manhã. Além disso, duas equipes da imprensa que estiveram no local para a cobertura jornalística do fato foram ameaçadas e expulsas por suspeitos armados.

Ramalho justificou que não houve acionamento da Polícia Militar sobre o tiroteio na madrugada desta terça (02) e que assustou os moradores em Planalto Serrano, resultando numa paralisação de circulação dos ônibus na região e o início de um toque de recolher. 

"Durante a madrugada não ocorreu nenhum telefonema e nenhum acionamento pelo Ciodes." Ele disse que o primeiro chamado foi feito pela manhã, informando sobre um carro preto que efetuou disparos no bairro, ocasionando mais tiros em resposta e criando pânico.  

Além da suspensão da circulação dos coletivos, profissionais da imprensa foram ameaçados por suspeitos de tráfico. Jornalistas da TV Gazeta e da TV Tribuna foram impedidos de trabalhar na cobertura da paralisação dos ônibus.  

Ramalho disse que a falta de um efetivo suficiente acabou por não garantir a segurança da circulação dos ônibus no local. "Mas tão logo conseguimos restabelecer e aumentar o quantitativo nós ocupamos o bairro com a Companhia Independente de Missões Especiais", destacou. "O município da Serra é muito grande. Nós fazemos o patrulhamento conforme o planejamento que fazemos e trabalhamos na medida do possível do que conseguimos atender", justificou.

Leia também:  Tiroteio deixa homem baleado e bairro sem ônibus na Serra; equipes de TV são ameaçadas

https://www.folhavitoria.com.br/policia/noticia/03/2021/madrugada-de-tiroteio-deixa-homem-baleado-e-bairro-sem-onibus-na-serra

Ele também lamentou o ocorrido com os jornalistas. Ele informou números para justificar o questionamento dos repórteres sobre a falta de policiamento constante numa região bastante castigada pela guerra de traficantes. 

Segundo Ramalho, foram 1830 operações policiais ao longo de 2020 somente dentro de Planalto Serrano, com 480 pessoas detidas com 87 delas mais de uma vez e até quatro vezes. São 66 armas de fogo apreendidas, dentre metralhadoras, submetralhadoras e 19 vezes a Polícia Militar foi confrontada nesse bairro. 

Governador Renato Casagrande

Em rede social, o governador do Espírito Santo também se manifestou com o que aconteceu com os jornalistas. "Lamentamos profundamente episódio ocorrido com moradores e equipes de TVs ameaçadas por criminosos hoje na Serra. Não há espaço para esses atos no Espírito Santo. Mobilizamos nossas forças de segurança para identificação/punição dos responsáveis. Trabalhamos incansavelmente p/redução da violência", postou.

Últimas